O sentimento de decepção por parte do deputado federal Alceu Moreira de que o gesto de seu companheiro de partido Gabriel Souza decidiu concorrer com ele como pré-candidato ao governo do Estado, embora o escolhido procure encarar o fato como normal, não é assim que está sendo visto pelo deputado federal Alceu Moreira.
Profundamente decepcionado, o parlamentar definiu a atitude de seu oponente partidário com gesto de deslealdade.
GABRIEL SOUZA
Na condição de pré-candidato escolhido pelo MDB para disputar o governo do Estado nas eleições deste ano, Gabriel Souza justificou o que ocorreu como “uma disputa natural e intensa, e sendo o MDB o maior partido no Estado naturalmente isso gera insatisfações. Houve uma tentativa de prévia em fevereiro, mas não houve inscritos, depois em março uma nova tentativa de escolha pelo diretório, que me escolheu com 80 por cento dos votos e agora é questão de unir o partido, cheio de líderes que têm espírito partidário gigantesco”.
O pré-candidato que escolheu Santo Antônio para dar início à sua caminhada eleitoral disse que escolheu este município por ser terra natal de sua mãe (ela é natural de Morro Grande). Na reunião na sede do diretório patrulhense, em que esteve acompanhado do deputado estadual Juvir Costella, pré-candidato à releição, o parlamentar defendeu a necessidade de união do partido.
Ao mesmo tempo Gabriel Souza citou o deputado federal Alceu Moreira com quem disse ter uma relação de amizade de 23 anos. Disse que Moreira deve ser um deputado federal muito bem votado, quem sabe do Estado. “Precisamos do deputado Alceu na Câmara Federal por mais um período e certamente seu espírito partidário vai fazer com que ele esteja do nosso lado”.
Gabriel não acredita em ruptura no MDB pelo que já viu a começar por Santo Antõnio.
Aliás, na reunião em Santo Antônio o presidente Fernando Missel defendeu a união em torno de Gabriel Souza.
ALCEU MOREIRA:
Ouvido no domingo quando veio a Santo Antônio para participar do ato de assinatura da Ordem de Serviço pelo prefeito Rodrigo Massulo, destacando sua participação para que a obra fosse concretizada. Alceu Moreira disse que se a lutra fosse entre ele e Gabriel e um um dos dois tivesse perdido, seria uma causa menor e algo normal, porque seria um contra o outro.
“Mas não é assim. A questão é que o Gabriel além de ser uma pessoa de dentro da minha casa, “isso representa para nós, um ato de profunda deslealdade de parte dele, porque fizemos o caminho do Rio Grande, andamos pelo Estado inteiro colocando o partido numa condição política de disputar o governo do Estado para ganhar e jogo para depois assistirmos com muita surpresa, um grupo partidário antigo do Partido absolutamente omisso sem dizer uma só palavra, em um silêncio de doer os ouvidos e outro grupo embarcado no governo Eduardo Leite, fazendo a escolha do deputado do MDB pela vontade de quem está no governo do Estado”.
NADA CONTRA GOVERNO LEITE
Alceu Moreira disse nada ter contra o governo Eduardo Leite. “Muito pelo contrário: está dando continuidade a um belo projeto que veio do governo MDB, mas a escolha do candidato deveria ser feita tão somente pelo MDB.
Afirmou o parlamentar que quando a escolha do candidato termina sendo feita apenas por 70 pessoas ao invés de 2.000 convencionais, não é prática do MDB, denunciando que quando se tem necessidade de dar o Tribunal de Contas para um deputado, ou dar cargos a outro, é prática do Centrão.
De qualquer forma, Moreira disse que é pré-candidato à deputado federal.
CAMINHOS DO PARTIDO SEM SUA PARTICIPAÇÃO
Porém, a partir de agora o MDB terá que escolher o seu caminho, sem sua participação. “O maior perdedor nesse processo, foi o próprio partido”, concluiu Alceu Moreira. Mesmo assim, não acredita em ruptura “porque causa partidária é muito maior do que a nossa”.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade