Milagre de Treviglio espalhou a devoção a Nossa Senhora das Lágrimas

A secular devoção à Nossa Senhora das Lágrimas tem origem na Itália com o milagre ocorrido em 1522. A pequena cidade de Treviglio estava cercada por um exército, cujo general se negou a atender ao pedido de paz dos trevilhenses. A população diante da iminência de ser atacada brutalmente recorreu a capela pedindo proteção diante da imagem de Nossa Senhora. Foi quando o milagre aconteceu. Da Imagem começaram a brotar lágrimas diante dos devotos.
A notícia de que a imagem de Nossa Senhora havia chorado, se espalhou rapidamente chegando ao general que decide averiguar tal fato pessoalmente. Ao se deparar com a Imagem lagrimando, depôs as armas aos pés da Virgem e bateu em retirada, sem entrar em conflito com o povoado.
Uma experiência viva de fé que levou e leva ainda nos dias de hoje, no município de Caraá/RS, milhares de peregrinos a manifestarem a sua devoção a Nossa Senhora das Lágrimas.
NO BRASIL
Foram os imigrantes italianos da região de Bergamo, que no século XIX, trouxeram a devoção à Imagem de Maria que chorou de compaixão. Essa devoção recebeu um grande impulso no Litoral Norte gaúcho com a promessa de Isidoro Meregalli, que diante da grave enfermidade de sua esposa prometeu que se ela recuperasse a saúde construiria uma capela dedicada a Nossa Senhora das Lágrimas. O pedido de saúde foi atendido e a capela concluída em 1893, recebendo a imagem da Virgem das Lágrimas, venerada no Alto do Caraá.
São 129 anos desde a conclusão da capela que passou a Santuário de Nossa Senhora das Lágrimas em 1980, na época pelo arcebispo de Porto Alegre, Dom Vicente Scherer.
O primeiro registro das Romarias data de 1945 com a participação de 3.500 romeiros e segue acolhendo cerca de 30 mil devotos que procuram a Virgem de lágrimas misericordiosas para confiar suas dores e angústias.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade