Sudeste alerta: situação do transporte de passageiros está no limite

Estamos no limite”. O desabafo é do diretor da empresa de transportes coletivos Sudeste, que atende o município de Santo Antônio da Patrulha.
Conforme Natal Peruzzo o que está acontecendo, não é um problema somente de Santo Antônio, mas acontece em todo o país: o número de passageiros transportados vem diminuindo consideravelmente e isso ocorre em todos os Estados. Conforme Peruzzo, isso decorre de vários fatores, como o desemprego, o Uber e a facilidade que o cidadão tem para adquirir um veículo, seja carro, ou até mesmo bicicleta. Ele encontrou outro meio de locomoção, especialmente no período da pandemia.
30 POR CENTO MENOS PASSAGEIROS
E depois que esse problema sanitário começou a ser superado, esse número de passageiros transportados não voltou ao normal. E o que ocorre é que hoje as empresas transportam 30 por cento a menos de passageiros do que acontecia em 2019.
“Isso nos pegou de surpresa porque a situação piorou. Por isso, nos vimos obrigados a tirar vários horários e o passageiro teve que descobrir outra maneira de transporte.

DIMINUIÇÃO NOS HORÁRIOS
Explica o diretor da Sudeste que em Santo Antônio, a empresa teve que diminuir alguns horários, especialmente na Várzea e COHAB, porque o número de passageiros transportados não cobre os custos.
As maiores reclamações – explica Natal Peruzzo – vem de idosos e de seus familiares, mas não podemos ter veículos transportando em alguns horários um número pequeno de idosos porque isso não cobre os custos que o transporte público tem.

SITUAÇÃO PODE PIORAR
E ele alerta: “Muito provavelmente tenhamos que retirar outros horários de outras linhas, devido ao problema da falta de passageiros”..
Acrescenta Peruzzo que em fevereiro houve em Porto Alegre um acordo coletivo ao redor de 5,7 por cento e em março, ocorreu uma reposição salarial de cerca de 10,5 por cento.
E o que piorou a situação foi o aumento desenfreado dos combustíveis com o óleo diesel tendo um acumulado superior a 35 por cento “e não temos como absorver isso”.

IDOSOS
As maiores reclamações da falta destes horários são de idosos e de familiares, mas não podemos ter alguns veículos transportando em determinados horários para transportar idosos porque o número é tão pequeno que não cobre os custos.

SOLUÇÃO
A solução para o que está ocorrendo é a que foi adotada em relação a Porto Alegre, em que foi fechado um acordo entre o prefeito e empresas privadas através da Associação dos Transportadores de Passageiros, de remuneração por km rodado e não por passageiros transportados, e estamos conversando com o prefeito de Santo Antônio para ver qual a possibilidade de que isso possa acontecer ou outra maneira para contornar a situação, porque se continuar esse problema, vamos ter um problema muito sério e não vai demorar muito porque estamos no limite”, concluiu o presidente da Sudeste Natal Peruzzo.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade