Juliana vai integrar equipe missionária em Moçambique

A assistente social Juliana Assis de Azevedo permanecerá no país africano por dois anos, no Projeto Igrejas Solidárias

Priscila Milán

Uma gravataiense vai se integrar como missionária leiga à equipe que participa do Projeto Igrejas Solidárias, em Nampula, Moçambique. A assistente social Juliana Assis de Azevedo, de 34 anos, viaja para o país africano no dia 10 de agosto junto ao bispo auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre, Dom Adilson Pedro Busin. A moradora do bairro Barnabé vai ocupar o lugar de uma catarinense que está encerrando a participação no trabalho voluntário. A Regional Sul 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) atua na região há cerca de 30 anos e para ingressar no grupo a servidora pública da Secretaria Estadual de Igualdade, Cidadania, Direitos Humanos e Assistência Social vem se preparando há meses. “Um missionário leigo precisa fazer muitas renúncias antes de partir em missão: renúncia do conforto, da família e amigos, do trabalho. Solicitei uma autorização para usufruir da licença interesse. Além disso, foi necessário alugar meu apartamento e voltar a morar com meus pais nessa etapa final. Há algum tempo tenho estudado sobre a cultura do povo e a língua Macua”, conta.

Atuante na igreja desde a infância e adolescência, quando fez parte de movimentos como o Objetivo Novo de Apostolado (ONDA) e Curso de Liderança Juvenil (CLJ), Juliana vislumbra nessa primeira missão além-fronteiras muitas possibilidades de aprendizado, além da oportunidade de ajudar outras pessoas. Esses fatores motivaram a ida à África. “No período de pandemia, de tanto sofrimento e falta de esperança, me questionei muito sobre a minha vida e papel no mundo. Coloquei-me em atitude de escuta da vontade de Deus para mim, pois muitas coisas me inquietavam, especialmente na minha área de trabalho: promoção e garantia de direitos humanos para as pessoas mais vulneráveis e historicamente discriminadas. Sentia que poderia fazer algo a mais e ter uma experiência nova e mais profunda de Deus na minha vida”, relata. Com a experiência missionária, a assistente social espera crescer pessoalmente e contribuir com o trabalho desenvolvido na Arquidiocese de Nampula.

Participação na Festa da Padroeira

Neste domingo (7/8), na missa festiva de Nossa Senhora dos Anjos, na Igreja Matriz, às 10h, também será realizada a solenidade de envio da missionária leiga para Moçambique. A cerimônia em homenagem à Padroeira de Gravataí será presidida por Dom Adilson Pedro Busin. Logo após a missa, a comunidade vai participar da tradicional procissão no entorno das praças. As festividades encerram com um almoço no salão paroquial.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade