Granpal pede participação dos municípios nas definições sobre a instalação de pedágio na RS 118

A possibilidade de instalação de pedágio na RS 118 tem gerado preocupação entre os prefeitos por onde passa a rodovia, em especial Viamão e Alvorada. O tema foi pauta de reunião entre os gestores municipais que integram a Associação dos Municípios da Região Metropolitana (Granpal) e o Governo do Estado nesta quarta-feira, 29.

No encontro com os secretários estaduais de Parcerias Estratégicas, Leonardo Busatto, e de Logística e Transporte, Juvir Costella, o presidente da Granpal, prefeito Sebastião Melo, destacou o interesse dos municípios em participar das discussões e lembrou ser preciso levar em consideração o ponto de vista econômico e urbanístico da implantação do pedágio. “Quem vai pagar a conta são os municípios, pois os motoristas sempre encontrarão um ponto de fuga”, destacou.

O prefeito de Viamão, Valdir Bonatto, afirmou que sua cidade será a mais afetada com a implementação do pedágio e que não pode pagar a conta sozinho pelos serviços que serão prestados, como guincho e manutenção. Já o prefeito de Sapucaia do Sul, Volmir Rodrigues, mostrou-se contrário à implementação e lembrou a necessidade de obras complementares, além da duplicação da via, como iluminação e sinalização.

Busatto disse que o governo está aberto ao diálogo e que o modelo a ser implementado na região ainda está em estruturação. “O bloco de concessão que envolve a 118 voltará à discussão no final de outubro e novembro e vamos buscar um acordo”, acrescentou.

A reunião contou ainda com a participação do prefeito de Nova Santa Rita, Rodrigo Battistela, além de representantes de Cachoeirinha e Canoas.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade