DOENÇAS RESPIRATÓRIAS: Pediatra orienta sobre como agir com as crianças nesta época

Com o rigor do inverno, aumentam os casos de doenças respiratórias, especialmente em crianças.
O pediatra dr. Vitor de Freitas Soares, que tem consultório da Rua Marechal Floriano, 165 e com perfil profissional no Instagram @pediatra.vitor ouvido pela FOLHA PATRULHENSE, explica que os casos respiratórios têm sido mais frequentes. “Não é incomum vermos várias pessoas da mesma família com o mesmo quadro. Os ambientes fechados típicos do inverno associados à alta umidade são os principais responsáveis pelo aumento do número destas doenças”, acrescenta o médico.
ASMA E BRONQUIOLITE
Vitor afirma que os casos de asma e bronquiolite aumentam de forma significativa no inverno e com isso, há aumento de casos mais graves. “Esta tendência ocorre tanto em Santo Antônio da Patrulha e região quanto em outras localidades do Estado”.
CRIANÇAS, AS MAIS AFETADAS
São as crianças da pré-escola e dos anos iniciais, que apresentam maior incidência de doenças respiratórias. Contudo, quanto menor a idade do paciente, maior a chance de apresentar quadros mais graves.
ATENÇÃO
Os pais devem ficar atentos aos sinais de esforço respiratórios. Se presentes, deve-se procurar avaliação pediátrica. Tiragem subcostal (barriga abaixa das costelas afundando) e sibilos (barulhos semelhantes a apito) são os mais comuns. Para casos mais leves, a lavagem nasal com soro fisiológico e seringa já é o suficiente para desobstrução nasal e propicia conforto à criança.
CHÁS CASEIROS
Sobre a utilização pelos pais, de chás caseiros afirma o pediatra que eles podem ser um bom aliado, principalmente devido ao efeito descongestionante provocado pelo vapor. “Deve-se lembrar, contudo, que não devem ser ofertados para crianças menores de 6 meses, as quais devem receber aleitamento materno ou com fórmulas infantis de maneira exclusiva”.
MÁSCARAS
Sobre as máscaras de proteção fácil, Vitor de Freitas afirma que o governo isentou as crianças da obrigatoriedade do uso de máscaras. Mas orienta: “Contudo, minha recomendação é que se oriente as crianças a utilizá-las e estimular a higiene das mãos com frequência”.
Já sobre internações, o pediatra afirma que casos de hospitalização em pediatria não são infrequentes. No inverno, os carros chefes são as doenças respiratórias como asma e bronquiolite.
VACINAÇÃO
Para finalizar, o dr. Vitor de Freitas Soares lembra que a vacinação para a COVID-19 e para a gripe é fundamental para todas as crianças aptas a recebê-las”.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade