CRISE POLÍTICA EM CARAÁ: Vice-Prefeito se manifesta sobre decisão do prefeito em romper coligação que levou ambos ao governo do município

A crise política que eclodiu em Caraá depois que o prefeito Magdiel Silva decidiu romper com a coligação com o Progressistas, continua sendo o assunto do momento, especialmente naquela região.
O vice-prefeito Djalmo Rilbeiro, apontado como pivô da crise pelo prefeito, está emitindo nesta edição da FOLHA PATRULHENSE, uma Nota de Eclarecimento a respeito de tudo o que antecedeu à decisão de Magdiel até a culminância com o rompimento da coligação que levou ambos ao Poder naquele município.

ESCLARECIMENTO AOS CARAENSES
O Vice-prefeito de Caraá, Djalmo Gomes Ribeiro (Progressista), vem a público manifestar-se sobre os acontecimentos ocorridos nos últimos dias em Caraá”.
Em 2020 representantes do PSDB nos procuraram para formarmos uma coligação, com propósito de unirmos forças para alcançar objetivos em comum. Na campanha eleitoral, o partido PROGRESSISTA apresentou o candidato Magdiel para muitos caraenses, que não o conheciam pessoalmente, importante registrar que o mesmo, não saia para fazer campanha sem a presença do atual vice-prefeito Djalmo, pois afirmava que não se sentia confortável para visitar pessoas que ainda não o conheciam, por se tratar de um jovem que se colocava à disposição pela primeira vez.
Trabalhamos lado a lado durante todo o pleito eleitoral sempre levando nossas ideias e propostas à população. Magdiel sempre me falava que precisava de um vice-prefeito que estivesse presente no dia a dia das comunidades para ouvir as pessoas e levar suas reivindicações ao executivo.
Nossos atritos começaram logo no início do mandato, tivemos dificuldades de diálogo e companheirismo nas principais decisões que faziam e fazem parte de qualquer gestão. Por muitas vezes o modo autoritário do prefeito Magdiel Silva, desrespeitou e feriu os acordos políticos necessários para qualquer coligação partidária.
O prefeito e seus aliados, sabem que o combinado quando fomos procurados para coligarmos ao PSDB era o de administrarmos juntos o município, mas isso não aconteceu. O prefeito vive dizendo que eu não trabalho, que eu preciso arrumar uma ocupação, na verdade o que ele quer é me afastar da prefeitura e da população. O que ele me propôs foi dividir a Secretaria de Obras, onde eu ficaria com a parte das roçadas e os bueiros. Com todo respeito a este trabalho, essa não é a minha função. A única coisa que sempre quis foi respeito, compromisso com a palavra dita e estrutura para poder fazer meu trabalho.
Durante aproximadamente 1 ano e meio de gestão, o partido PROGRESSISTA conquistou mais de 1.000.000.00 (um milhão de reais) em emendas parlamentares para o nosso Município. Reconhecemos que o prefeito é um bom administrador financeiro, muitas melhorias estão acontecendo na nossa cidade, mas, ele não administra sozinho, nossos secretários realizam um bom trabalho, e principalmente os nossos servidores públicos municipais se dedicam muito, realizando ótimos trabalhos.
Outro fato que quero lamentar, é a forma com que o prefeito trata quem trabalha ao seu lado. Várias foram as oportunidades em que tratou servidores e aliados de forma desrespeitosa, alterando o tom de voz, não medindo palavras, inclusive perante outras pessoas, ele não aceita ser contrariado. Exemplos de suas atitudes, foi a forma de exoneração do Secretário de Saúde André Rolante, através de uma mensagem telefônica, a informação através de jornal que a Coordenadora Pedagógica Sandra de Ávila será destituída de suas funções, o memorando assinado pelo Prefeito, que determina que eu na condição de Vice-prefeito não posso mais atender as pessoas na sede da Prefeitura, tendo como justificativa que tal medida irá melhorar o trabalho interno e a logística, um verdadeiro deboche.
Quero deixar claro que continuarei lutando pelas comunidades e ouvindo as pessoas como sempre fiz. Tenho 18 anos de vida pública, se não tivesse trabalho e aprovação da população o próprio prefeito e aliados do PSDB, não teriam me procurado e dialogado com os progressistas para fazer a coligação.
O Caraá não foi criado em 1º de janeiro de 2021, nossa história precisa ser respeitada, o PROGRESSISTA foi expulso da prefeitura, mas continuará o seu trabalho de colaborar para o desenvolvimento desta cidade.
Podem ter certeza que saímos tristes, chateados, machucados deste episódio, mas juntos, iremos continuar nossa luta para que todos os caraenses sejam tratados com respeito e dignidade.
Peço a Deus proteção e sabedoria para continuar lutando e trabalhando pela população Caraense.
Djalmo Gomes Ribeiro
Vice-Prefeito do Caraá-RS”.

Esta Nota já havia sido publicada no perfil do vice-prefeito no Facebook, gerando inúmeros comentários, tanto a seu favor, como contra”.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade