Zaffalon apresenta ao PDT projeto para equacionamento de parte do bilionário déficit previdenciário

O prefeito Luiz Zaffalon recebeu nesta segunda-feira, 10, a presidente do PDT, Anabel Lorenzi; o vereador Dilamar Soares e o secretário-geral do partido, José Amaro Hilgert; para apresentar os números e projetos a serem enviados à Câmara de Vereadores para o equacionamento do bilionário déficit atuarial, também conhecido como Reforma da Previdência dos municipários.
Zaffa afirma que só este ano está sendo paga uma alíquota patronal extraordinária de 26%, o que equivale a R$ 3,2 milhões por mês. Ou seja, apenas neste ano, serão R$ 38,4 milhões, o que daria para fazer seis obras como a duplicação das pontes do Parque dos Anjos (inaugurada em novembro de 2019, pelo governo Marco Alba, e que custou R$ 6 milhões).
A alíquota extraordinária (ou suplementar) começou a ser paga em 2013. Além disso, também é pago pela prefeitura um parcelamento de uma dívida que o município tinha com o Instituto de Previdência dos municipários, de governos anteriores a 2013, que não depositaram a alíquota patronal e sequer repassavam a alíquota do servidor.
Também foi repassada a informação aos representantes do PDT que, caso não seja feita a Reforma da Previdência dos municipários, a alíquota extraordinária, que aumenta anualmente com escalonamento, chegará em 2043 a 72%. “Isso inviabilizaria o município de ter qualquer investimento ou melhorias para a comunidade. É o que queremos evitar, sugerindo um projeto que equaciona o bilionário déficit atuarial que temos”, diz o prefeito.
Participaram também o secretário municipal da Fazenda, Planejamento e Orçamento, Davi Severgnini; e a diretora-presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Gravataí (IPG), Janaína Balkey.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade