Oficinas de canto, violão e violino despertam novos talentos em Cachoeirinha

Um dos projetos mais antigos da cidade segue levando cultura e despertando talentos para a música. O “Canta e Encanta Minha Gente”, oferecido em contraturno escolar pela Secretaria Municipal de Educação (Smed) em parceria com a Fundação La Salle, já existe desde 2004 em Cachoeirinha. Quando iniciou, levava o nome “Música, Ação e Inclusão” e foi pensado a partir de um curso de regência de coros escolares oferecido aos professores que tinham interesse em montar coros infantis nas suas escolas.
A parceria com o La Salle veio em 2019 e atualmente leva oficinas de Canto, Violão e Violino para estudantes das escolas municipais.
Na oficina de violino, realizada na escola Vista Alegre, o instrutor Breno de Assis Lopes mostra o quanto é apaixonado pelo instrumento. “É uma grande oportunidade para eles, pois o violino não é de fácil acesso, é mais elitizado. Um instrumento simples custa uns 500 reais, mas eles se dedicam bastante”, contou. Os alunos Júlia Gomes Pires, de 7 anos, e João Munhoz Medeiros, Isabele Alves e Larissa Pereira, de 8 anos, demonstram disciplina e concentração nas aulas, seguindo atentamente as instruções do professor. “Senti dificuldade no início, achei até que nem ia conseguir aprender, mas hoje estou mais acostumada e quero continuar aprendendo e tocando. Além de ser música, quero ser bailarina”, revela Isabele.
Além da EMEF Vista Alegre, também integram o Canta e Encanta Minha Gente as escolas Alzira Silveira Araújo, Assunção, Carlos Wilkens, Dagmar de Lima Mucillo, Deolinda Caetano Goulart, Getúlio Vargas, Jardim do Bosque, José Victor de Medeiros, Maria Fausta Teixeira, Papa João XXIII, Prof. Osmar Stuart e Portugal.

Projetos de Contraturno
O cinco Projetos de Contraturno – banda escolar, xadrez, tiro com arco, práticas meditativas e canto, violão e violino – serão retomados no próximo ano letivo. Com a pandemia de Coronavírus, as atividades foram suspensas e somente retomadas em outubro deste ano, em ambiente interno.
“A ideia é que ano que vem, com uma nova realidade, possamos ampliar a oferta de oficinas em mais escolas, oportunizando uma prática tão importante para muito mais estudantes”, avaliou o secretário municipal de Educação, Cláudio Pinheiro. Informações sobre as oficinas podem ser obtidas na própria escola.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade