Museu recebe escultura do renomado artista plástico Carlos José Sillero

O Museu Caldas Júnior recebeu no dia 02 de fevereiro, a doação de uma escultura em pedra sabão, intitulada “Felicidade”, criada no ano de 1994, pelo artista e escultor Carlos José Sillero (In Memoriam). O gesto dessa importante doação para o enriquecimento do acervo da fundação partiu de sua filha, Ana Rosa Sillero Rodrigues. Segundo a presidente do Museu, Rosalva Rocha, é um privilégio receber esta obra que eterniza o talento de Carlos Sillero, grande escultor que ganhou o estado e o mundo com sua arte e criatividade. Carlos Sillero nasceu na localidade de Aldeia Velha, interior de Santo Antônio da Patrulha em 23 de abril de 1934 e faleceu em 8 de julho de 1997, em Porto Alegre. Sua formação artística começou ao matricular-se no Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre com Cláudio Martins Costa – professor da Faculdade de Belas Artes da UFRGS e fez parte do catálogo “Esculturas no RGS”, tendo feito curso de pintura com os mestres W. Elias e Alice Brueggmann. Viajou para estudar artes pela Espanha, França, Itália, Bélgica, Holanda e Alemanha. Realizou mais de 60 exposições individuais e coletivas no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Suas obras fazem parte de diversos acervos, inclusive em países da Europa e da América. Criou mais de 30 troféus e medalhas para programas de qualidade ISO 9000, para festivais e eventos sócio-esportivo-culturais, nacionais e internacionais, sendo o mais conhecido, do Festival de Cinema de Gramado, o famoso Kikito.

CARLOS SILLERO
Era filho de Miguel Sillero e Almerinda Ramos Sillero. Casou com Antônia Assis de Oliveira Sillero e tiveram os filhos: João Batista, Ana Rosa e Carlos Miguel. Iniciou seus estudos no Monjolo e, posteriormente, foi estudar e trabalhar em Porto Alegre como desenhista na Santa Casa de Misericórdia, lá permanecendo por cinco anos.
Destacou-se como Diretor da recém-fundada Escola Industrial de Santo Antônio da Patrulha. Além disso, dava ampla cobertura às iniciativas da comunidade patrulhense fazendo parte de Clubes e, especialmente do Conselho de Desenvolvimento do município, do qual foi Presidente, bem como teve significativa participação na Presidência da Rádio Itapuí, tornando-a uma emissora que se firmou junto à comunidade.
Carlos Sillero mudou-se para a cidade de Novo Hamburgo e daí para frente ampliou a sua trajetória com muito sucesso, tornando-se um dos artistas plásticos mais conhecidos e festejados do Rio Grande do Sul.
Após deixar o solo patrulhense foi Diretor do Colégio Industrial Frederico Guilherme Schmidt e Professor da UNISINOS, no Curso de Comunicação, além de Professor na FEEVALE, no Curso de Relações Públicas, já que era Bacharel em Relações Públicas e Jornalismo.
Foi presidente do Conselho Municipal de Cultura e Vice-presidente da Fundação Cultural de Novo Hamburgo; integrante das diretorias da Associação de Escultores do Rio Grande do Sul – AERGS e da Associação dos Artistas Plásticos de Novo Hamburgo – AAPNH.

CURIOSIDADE
Quando do recebimento da doação tomamos conhecimento de um depoimento datilografado por ele, iniciado da seguinte forma: “Hoje é dia 15 de agosto de 1994, agora são 23h30min, este é um depoimento que estou fazendo para o Museu Antropológico Caldas Júnior de Santo Antônio da Patrulha, a pedido da Lézia, eu vou contar esta história da Rádio Itapuí de Santo Antônio, para que as gerações futuras tenham ideia do que foi a Radiodifusão (…)”

PRAÇA
Em 2013, por sugestão do Presidente do Instituto Histórico e Geográfico, Renato José Lopes, a Presidente da Câmara de Vereadores, Margarete Pereira propôs dar denominação de Praça Professor Carlos José Sillero, a área de recreação situada no Loteamento Alta Vista (Lei Municipal nº 6.839).

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade