Maior volume de vendas ocorre nos fins de semana em supermercados

O movimento nos supermercados, durante a semana tem se mostrado relativamente tranquilo.
Foi o que pode ser observado entre a semana passada e esta. O fluxo maior ocorre exatamente nos fins de semana. Mas mesmo assim, são seguidos os protocolos sanitários.
Mas o que aconteceu durante o lockdown de três dias determinado pelo prefeito Rodrigo Massulo, surpreendeu, porque as pessoas pareciam ter a preocupação de comprar em grandes quantidades como se o período de fechamento fosse se prolongar por muitos dias.
No Compre Bem, localizado na Rua João Pedroso da Luz, conforme Jonathan Kosovski, que é um dos proprietários, o fim de semana do lockdown teve um grande movimento. “Foi uma vinda ao mercado acima do que normalmente acontece”, explica o empresário da alimentação.
Mas um dos fatos que se destacaram foi o da proibição imposta pelo governo gaúcho de venda de produtos não essenciais, com consumidores reclamando das medidas.
Em contrapartida, surpreende a proibição de comercialização, por exemplo, de chinelos, itens de cozinha, como panelas, confecções, dentre outros, mas de outra parte a liberação da venda de bebidas alcoólicas.
No Nacional, localizado na Francisco J. Lopes ocorreu o mesmo. Movimentação tranquila durante a semana, mas procura bem mais acentuada nos fins de semana. No período de lockdown houve filas na entrada, porque era limitada a presença de consumidores dentro da loja. Filas que, por sinal, também foram registradas em outros mercados da cidade. Já em relação aos produtos não essenciais o consumidor, via de regra, não estava reclamando.
No Gominho e Gomão (Cel. Victor Villa Verde e Av. Afonso Porto Emerim) da mesma forma o movimento foi tranquilo durante a semana, somente aumentando especialmente aos sábados e domingos. No lockdown as filas, como o ocorrido em outros supermercados da cidade, surpreenderam. No entanto, sempre houve a preocupação dos empresários em garantir a segurança de todos, obedecendo rigorosamente os protocolos sanitários.
Nos supermercados Pinheiro (Francisco Borges de Lima e Cel. Victor Villa Verde), o mesmo aconteceu, mas o movimento maior foi na matriz, com grande fluxo de consumidores. A reportagem não conseguiu contato pelo celular porque o número estava fora da área de cobertura.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade