Aos 85 anos, patrulhense decide fazer Faculdade

Com 85 anos de idade, ele é um verdadeiro exemplo para quem, na sua idade, apenas vê o tempo passar. Carmelindo Gomes de Freitas é a prova de que o ser humano sempre está ávido do saber e busca aperfeiçoamento constante. Sua história está nesta edição, sendo também uma homenagem à sua primeira escola que atualmente completa 65 anos: Jovelino Theodoro, de Costa da Miraguaia.
Com mais de oito décadas de vida , “seu” Carmelindo resolveu dar a si, mais uma oportunidade: fez o ENEM, foi aprovado e está matriculado no curso de História da Uniasselvi com aulas remotas em função da idade e da pandemia. Apaixonado por História, Geografia e Ciências, ele afirma ter predileção pela História Militar, por reverenciar a memória daqueles que lutaram para defender sua Pátria do domínio estrangeiro.
ORGULHO EM SER AGRICULTOR
Orgulhando-se de ter nascido na agricultura, começando por plantar cana a partir dos nove anos, Carmelindo afirma conhecer tudo sobre esta cultura, fabricando também melado e rapadura, fatos que ele relata isso no seu terceiro livro. O primeiro já publicado, são Contos, o segundo que está com a professora Josélia Lorence Fraga, versa sobre a vida escolar em sua comunidade e o terceiro, ele ainda está escrevendo que é sobre a hstória da cana de açúcar na Costa da Miraguaia, localidade bastante conhecida por suas fábricas de rapaduras e seus derivados. O livro irá conter o relato de pessoas já falecidas, mas que foram importantes no desenvolvimento dos produtos a partir da cana em sua região. Trabalhou 17 anos na Pirelli e também na Prefeitura, “seu” Carmelindo disse que nunca deixou sua terra natal.
EM CASA
Sua trajetória do saber, começou em casa, uma vez que sua mãe era filha de professores e ele teve também o incentivo de uma de suas avós e de uma tia.
Mas ele foi mesmo alfabetizado há pouco mais de 20 anos. Recorda que quando foi para trabalhar na Pirelli, teve que preencher um formulário e levou três dias, porque não sabia escrever direito. Para superar essa dificuldade, ele desenhava no ar determinada palavra, enquanto fazia alguma coisa, como na hora do chimarrão, e em seguida passava para o caderno.
Pela Escola Jovelino Theodoro, cujo patrono ele conheceu (entre 1948 e 1949) tem um carinho muito especial. Com uma memória prodigiosa, ele relata quando iniciaram os estudos: 23 de agosto. Mas foi por pouco tempo – recorda – porque em seguida chegou o fim do ano. Ele conheceu o patrono da Escola Professor Jovelino Theodoro.
HOMENAGENS
A sua querida escola, está dentro do seu coração. Tanto que a direção organizou encontros com Carmelindo, hoje celebridade na comunidade, para ele fazer um relato a respeito de sua vida. Os alunos e também os professores o acompanham com atenção, porque descobrem fatos de sua comunidade e que são preservados pela excelente memória, quase uma enciclopédia viva, sobre o dia a dia de Costa da Miraguaia.
Estas homenagens foram organizadas pelas professoras Leandra Guimarães, diretora e Desiré Barcelos, lecionando História e Geografia, que por sinal, foi quem informou a reportagem da Folha Patrulhense sobre a vitória obtida pelo “seu” Carmelindo. Desiré também fez matéria para a TV Digital Litoral Canal 6 Net/Claro, de quem é colaboradora. O cantor Léo Richard esteve presente para apresentar um momento de lazer durante o encontro com o nosso aluno e escritor.
O fato está alcançando tamanha repercussão que inclusive a RBS deverá fazer uma matéria com Carmelindo para veiculação nos seus veículos de Comunicação.
Costa da Miraguaia, com toda a certeza, tem orgulho deste seu aluno e escritor!

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade