Zaffalon projeta Gravataí entre os melhores em Educação no RS em 2023

O prefeito Luiz Zaffalon faz uma projeção de que em 2023 Gravataí estará, pelo menos, entre os oito melhores municípios gaúchos mais bem-colocados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) das cidades com mais de 100 mil habitantes do Rio Grande do Sul. “Estamos na média, mas, na condição de quarta maior economia do Estado, não posso me contentar com a média. A média não é para nós, eu quero estar no topo”, afirmou o prefeito Zaffalon, na primeira reunião de 2022 do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes), nesta quarta-feira (23/3), no teatro do Sesc. Pelo último Ideb, conforme dados de 2019 divulgados em 2020, a nota de Gravataí é de 5,7.

O índice, criado em 2007 pelo governo federal, por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mede a qualidade do ensino nas escolas públicas. O prefeito citou o exemplo de Sobral, município no interior do Ceará, que em 2017 alcançou a nota de 9,1 – em 2019 foi ultrapassado por Mucambo (CE), que obteve desempenho de 9,4. “O que eles têm de diferente?”, questionou Zaffalon, para logo responder: “Lá, eles valorizam o mérito. Não basta a eleição para diretor, é preciso ter formação, e nós vamos, com o auxílio da Câmara de Vereadores, com certeza, mudar a forma de escolha dos diretores das nossas escolas”.

As declarações do prefeito ocorreram dentro do painel “Educação Conectada com o Futuro”, apresentado pela secretária municipal de Educação Magda Ely e pelo secretário substituto Guilester Neves. A secretária destacou os investimentos feitos em tecnologia, como a instalação de lousas digitais em todas as 682 salas de aula nas 76 escolas da rede municipal, além da entrega de 2000 notebooks aos professores. “O atual prefeito ampliou e aprimorou os investimentos em tecnologias na educação de maneira substancial, o que nos dá ainda mais qualidade de trabalho, além de colocar os alunos da escola pública em um patamar jamais visto nesta cidade”, afirmou a secretária.

O secretário substituto fez um relato sobre obras físicas feitas nas escolas da rede, destacando a construção de três salas de aula modulares, com capacidade para 180 alunos, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Jerônimo Timóteo da Fonseca – concluída em 25 dias. “Ao todo, foram 250 ações nas escolas, de todo tipo”, observou Guilester. Outro tema apresentado ao Codes foi o Plano Diretor, pelo secretário municipal de Desenvolvimento Urbano (Smdur), Cláudio Santos, que enfatizou o expressivo número de pessoas participando das audiências. “Esse é o objetivo, envolver o maior número de pessoas possível, para que pensemos juntos a cidade que queremos para o futuro”, afirmou o secretário.

Segundo Cláudio Santos, o atual plano tem 21 anos, ou seja, está defasado, em descompasso com o crescimento e a vocação da cidade. As audiências se iniciaram em setembro de 2021 e devem estar concluídas em um prazo de 18 meses.

No último painel da manhã, o secretário de Mobilidade Urbana (Semurb) Guilherme Ósio tratou dos avanços do Programa Municipal de Reestruturação e Qualificação do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros (Procoletivo), que, entre outros ganhos, permitiu a redução da tarifa de ônibus de R$ 4,80 para R$ 3,75 em dezembro do ano passado, o que contribuiu para o aumento de 19,68% no número de passageiros pagantes. Junto com isso, até o final de abril, o transporte público contará com o incremento de 239 novos horários, passando de 300 para 539, o que representa o aumento de 79% em relação a 2021.

Também estiveram presentes o vice-prefeito Dr. Levi Melo; a deputada estadual Patrícia Alba (MDB); a chefe de gabinete e coordenadora do Codes, Mari Leia Bastiani; a gerente do Sesc, Rita Fagundes; secretários municipais; e os vereadores Alan Vieira (MDB) e Carlos Fonseca (PSB).

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade