Vítimas de maus-tratos, gambá e filhotes são resgatados na ERS-020

O morador que realizou a agressão será notificado por crime ambiental. Questionado sobre o motivo do acometimento, o mesmo justificou que estava incomodado com a presença do animal no local

Na última semana, a Fundação Municipal do Meio Ambiente (FMMA) resgatou uma gambá fêmea, da espécie gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris), que carregava seus filhotes, ainda em sua bolsa, quando foram agredidos ao passar por uma residência localizada na ERS-020. Ao ver toda a situação, uma moradora que estava passando pelo local resgatou os animais, ainda com vida, e acionou a FMMA para prestar os devidos atendimentos.

A gambá fêmea e seus filhotes foram encaminhados para a clínica veterinária Toca dos Bichos, localizada em Porto Alegre, que atua de forma especializada no resgate, tratamento e soltura da fauna silvestre, seguindo o procedimento padrão que ocorre com toda fauna resgatada. Já o morador que realizou a agressão será notificado por crime ambiental. Questionado sobre o motivo do acometimento, o mesmo justificou que estava incomodado com a presença do animal no local.

De acordo com o presidente da FMMA, Paulo Moreira, durante a primavera, há um grande aumento na aparição de animais silvestres nos ambientes urbanos, principalmente, pelo fato de estas espécies estarem sofrendo um déficit nos locais destinados ao seu habitat. “A fauna silvestre não prejudica o desenvolvimento de nossa cidade e nem a vida do cidadão. É um dever de todos atuar na proteção e preservação destes animais que são essenciais para o meio ambiente”, ressaltou Paulo.

Somente neste mês, cerca de 30 animais da fauna silvestre foram resgatados ou atendidos pela FMMA. Entre as espécies mais recorrentes, estão os mamíferos gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris), ouriço-cacheiro (Coendou spinosus) e bugio-ruivo (Alouatta guariba), e aves como sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris), bacurau (Nyctidromus albicollis), caturrita (Myiopsitta monachus) e aracuã (Ortalis guttata). Em menor frequência, também há o resgate de espécies de lagartos e cobras.

Conforme a bióloga da FMMA Isabela Kirsten, a fauna silvestre é composta por todos os animais que não são domesticados e que compõem nossa biodiversidade, trazendo diversos benefícios para a natureza, como a polinização de plantas e a dispersão de sementes, sendo extremamente necessários para o equilíbrio ambiental. Isabela ressaltou que, todos os meses, principalmente no período de primavera, estes animais são encontrados mortos ou feridos, após serem atropelados ou atacados, por serem vistos como invasores do ambiente urbano.

A FMMA alerta que maus-tratos a animais são considerados crime ambiental, conforme previsto na Lei nº 5.197/1967, que dispõe sobre a proteção da fauna, e pela Lei nº 9.605/1998, que dispõe sobre os crimes ambientais. Caso encontre algum animal silvestre, deixe-o em local seguro e acione os órgãos competentes para que seja feito o manejo correto desses animais, preservando suas vidas. O contato pode ser realizado pelo Disque 153 do Grupamento Ambiental de Gravataí ou pelo telefone (51) 3191-5161 da FMMA.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade