Santa Casa apresenta relatório da gestão dos serviços de assistência médica nas UPAs de Gravataí

O vice-prefeito Dr. Levi Melo, acompanhado por uma comitiva composta pelo secretário municipal de Saúde, Régis Fonseca, pela diretoria do Hospital Dom João Becker, pelo presidente do legislativo municipal, Roger Correa, entre outros vereadores, estiveram na manhã desta terça-feira (10/5), visitando as UPAs, que são administradas pela Santa Casa de Misericórdia e que atendem, mensalmente, 12 mil pacientes. Em pauta, a análise do trabalho e o alinhamento de ações, visando ampliar o atendimento da população de Gravataí. “Estamos todos unidos para fazer mais e melhor, para cuidar das pessoas, para manter as equipes trabalhando de forma empenhada, para que a gente possa ter nossas unidades de saúde com cada vez mais qualidade, que é o que a população precisa”, disse o vice-prefeito.

Na oportunidade, a comitiva conversou com pacientes e funcionários das unidades. Para a Santa Casa, a agenda desta terça-feira foi a oportunidade de ratificar a transparência na gestão das UPAs de Gravataí. “Temos como prioridade, a redução do tempo de espera, a reformulação da política e do modelo assistencial e a redução da média de permanência de pacientes. Estamos no caminho certo, como os dados e a pesquisa de opinião nos mostra”, afirmou o superintendente do Hospital Dom João Becker, Antonio Weston. De acordo com ele, entre os grandes desafios estão a gestão de recursos humanos, suprimentos e materiais e a transformação das UPAs em modelo de atendimento pré-hospitalar.

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, desde dezembro de 2021, gerencia as duas unidades de pronto atendimento, as UPAS da 74 (localizada na margem da Avenida Dorival Cândido Luz de Oliveira) e das Moradas (localizada na margem da ERS-020, na região das Moradas do Vale).

Apresentação do relatório de gestão das UPAs

No período da tarde, a convite do presidente do legislativo, Roger Corrêa, a diretoria do Hospital Dom João Becker esteve na Câmara de Vereadores de Gravataí para apresentar o relatório de gestão aos vereadores municipais.
Conforme os números apresentados, a demanda de atendimento mensal é crescente. Na Morada do Vale, por exemplo, em dezembro de 2021, foram registrados 3038 atendimentos. Já em abril, deste ano, esse número dobrou para 6.903 atendimentos. Na Cohab não foi diferente. Em dezembro registrou 3.437 atendimentos e em abril (2022), registrou 6.678 atendimentos.

Régis Fonseca lembrou da recente entrevista do chefe de pediatria do Hospital Moinhos de Vento, João Ronaldo Krauzer, ao Jornal Zero Hora. Na matéria, o profissional afirmou que, em março, é normal o aumento nos atendimentos (relacionados a doenças respiratórias), mas não o que tivemos em abril. “O início do mês de maio está sendo igual ao mês de abril”, descreveu.

“Nos orgulha ter a Santa Casa à frente das nossas UPAs, pois estamos falando de uma das maiores instituições de saúde do país, que tem 219 anos de história, é idônea e segue na busca constante da qualificação dos serviços prestados à população de Gravataí”, argumentou Régis Fonseca.

Pesquisa mostra satisfação da população com o atendimento das UPAs

Aplicada nas duas UPAs de Gravataí, a pesquisa de satisfação buscou ouvir a população sobre questões relacionadas à assistência médica, enfermagem e instalações e higienização. É expressiva a avaliação de satisfação e plena satisfação, que lidera, com folga, as insatisfações e plena insatisfações.

Atendimento médio é de uma hora na UPA Moradas e de duas horas na Cohab

Antonio Weston explicou que é feito mapeamento diário do total de atendimentos, correlacionado com o percentual de classificação fora do tempo estimado. Informou que, de acordo com os dados levantados, o atendimento médio é de menos de 1 hora, em casos de urgência e pouca urgência, tanto para adultos quanto para a pediatria, na UPA das Moradas. A realidade é um pouco diferente na UPA Cohab, em razão da alta demanda. O tempo de espera lá, em média, é de duas horas para pouco urgente e três horas e trinta minutos para não urgente.

A redução da média de permanência dos pacientes deve-se à participação diária no Round (visita multidisciplinar) com o Hospital Dom João Becker para identificar as possibilidades de transferência. Por isso, são realizadas reuniões regulares com a rede para encaminhamentos dos pacientes a seus locais de referência.

Além de Antonio Weston, estiveram presentes na reunião na Câmara Municipal, o diretor administrativo, Olímpio Dalmagro, o diretor médico, Fernando Issa, o coordenador de enfermagem, Rudinei Bittencourt, e a gerente hospitalar do HDJB, Louise Chagas, além dos vereadores, Alan Vieira, Demétrio Taffas, Alex Peixe, Claudecir Lemes, Evandro Coruja, Paulo Silveira, Bino Lunardi e Dilque Dionis (representando o vereador Dilamar Soares).

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade