Responsável pela rotina da UTI do HSAP da Santa Casa de Misericórdia elogia estrutura existente

O médico Tiago Serafim chega ao município para assumir a responsabilidade pela rotina da UTI do Hospital de Santo Antônio da Patrulha da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.
“Me surpreendi com a estrutura da UTI, que está muito bem montada para oferecer o melhor para os pacientes, sendo que iremos implementar uma rotina mais horizontal para oferecer o melhor para os hospitalizados, utilizando toda a tecnologia que a UTI já possui na cidade”, disse o médico.

SITUAÇÃO MELHOROU

Ele define a situação vivida na atualidade como bem melhor, porque, conforme afirma, o pico da pandemia claramente já diminuiu sendo visto no próprio painel do Estado. “Hoje, a realidade no HSAP é melhor. A UTI não está lotada e os moradores não precisarão ser deslocados para outros hospitais e esperamos que se mantenha assim. Hoje temos 10 leitos para Covid, específicos de alta performance. Possuímos também um aparelho de hemodiálise, o que não existe em alguns lugares, e que já estamos usando. Isso vai dar uma qualidade muito boa para os pacientes que não precisarão ser transferidos para fora de Santo Antônio”.
Tiago Serafim destaca a segurança que esse equipamento representa para pacientes, explicando que boa quantidade dos internados pela Covid evolui com perda da função renal e necessitam de suporte dialítico, sendo mais um tratamento de ponta que o hospital oferece.

VITÓRIA

Ao falar a respeito de pacientes que recebem alta da UTI, o médico Tiago Serafim afirma que isso, sem dúvidas, representa uma vitória “porque sabemos que infelizmente a mortalidade da Covid-19 é muito alta. Uma pesquisa diz que esse índice é de 80% dos pacientes internados em UTI. Por isso, cada paciente que recebe alta da Unidade de Tratamento Intensivo é uma vitória imensa para nós – médicos e enfermagem – pois é mais uma pessoa que retorna às suas atividades com a sua família, e isso é muito gratificante”.

VACINA

Serafim define a vacina como ponto fundamental para sair da pandemia. “Só ela vai trazer o alívio que todos precisam. Hoje praticamente todos os idosos estão vacinados”. O médico enfatiza a necessidade de aplicação das duas doses, porque somente com uma dose a pessoa não estará completamente imunizada. “O ideal é que se tome a primeira no tempo previsto. Alguns estudos indicam que um espaçamento maior aumenta grau de resposta imunológica do corpo. Mas o ideal é que se faça a vacina no tempo previsto”. E, mesmo assim, as pessoas precisam seguir as recomendações de lavar as mãos com água e sabão, ou álcool em gel, usar a máscara e manter o distanciamento social. “Graças a Deus os números baixaram, pois a vacina deu um impacto muito positivo, independente da marca da vacina”.

JOVENS

Por fim, o médico Tiago Serafim lamenta que muitos jovens não seguem as recomendações de manter o distanciamento social. “Algumas pessoas só levam a sério quando acontece na família. A Covid existe e a letalidade já não é mais como no início da pandemia em que eram só idosos. Hoje temos pacientes na UTI com 30, 40 anos. Todos precisam se cuidar, antes que seja tarde demais”, conclui o médico Tiago Serafim, responsável pela rotina da UTI do Hospital de Santo Antônio da Patrulha da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade