Relatório que sugere medidas para a redução da tarifa do transporte metropolitano é aprovado

Documento foi apresentado pela deputada Patrícia Alba, que durante quatro meses liderou Comissão Especial sobre o tema na Assembleia

Por 36 votos favoráveis e nove contrários, a Assembleia Legislativa aprovou, na Sessão Plenária desta terça-feira (5/7), o relatório final da Comissão Especial do Transporte Público Metropolitano (PR 4/2022). O documento foi apresentado pela deputada estadual Patrícia Alba (MDB), que liderou os trabalhos do Colegiado nos últimos quatro meses, e propõe uma série de medidas visando a redução da tarifa para o cidadão, como a criação de um fundo capaz de subsidiar parte do custo, e a melhoria da qualidade do serviço.

Durante o seu pronunciamento, a parlamentar relembrou que o transporte coletivo metropolitano atualmente é custeado apenas pelo usuário pagante e que fatores como a alta do diesel, os efeitos da pandemia e a queda na demanda de passageiros ao longo dos anos podem recair ainda mais sobre a população.

“Esperamos que o governo do Estado, a partir dos nossos apontamentos, institua uma política pública para o Rio Grande do Sul. Existem pesquisas que comprovam: quanto menor a tarifa, mais pessoas vamos trazer de volta ao transporte público, a exemplo do que fizeram os municípios”, comentou a deputada Patrícia, citando Gravataí, que em janeiro de 2022 reduziu a tarifa do transporte municipal R$ 4,80 para R$ 3,75.

A deputada ainda defendeu a participação da União, pleiteando a aprovação do PL 4392/2021, que vai custear as gratuidades hoje previstas em Lei para pessoas com mais de 65 anos. Para ela, o governo federal deve arcar com o custo de uma isenção que ele mesmo propôs.

Confira as principais medidas apresentadas pelo relatório:

Curto prazo (até dezembro de 2022):
* Instituir subsídio/renovação do Auxílio Emergencial (Lei 15.781/2021)
* Isenções da Taxa de regulamentação da AGERGS (2,17%)
* Combate ao transporte irregular/clandestino
* Ações de incentivo ao uso do transporte público
* Canal de informação e comunicação para os usuários
* Criação de grupo de trabalho permanente com o governo do Estado
* Lançamento do projeto-piloto de integração do transporte metropolitano e urbano

Médio prazo (até 2024):
* Criação do Fundo do Transporte Metropolitano
* Desenvolvimento da integração entre sistemas de bilhetagem e interoperabilidade
* Estabelecer um Plano para o Sistema Integrado de Transporte
* Revisar e propor alterações na política de impostos e tributos
* Legislação instituindo uma política pública

Longo prazo (até 2026):
* Criação de Consórcio Urbano e Metropolitano/Convênio de Cooperação
* Implantação do Sistema Integrado de Transporte
* Buscar investimentos para a qualificação de infraestrutura
* Incentivas novas tecnologias/inovação em prol da sustentabilidade

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade