Presidente da ACISAP fala sobre prioridades

O novo presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Santo Antônio da Patrulha afirmou ser “um orgulho, uma honra e um desafio muito grandes representar a ACISAP, instituição de tamanha importância ao nosso município. Aproveito para parabenizar a Entidade pela passagem dos seus 54 anos no último dia 01/04/2021”.

PRIORIDADE
Paulo José de Moraes Barros destacou como prioridade “à frente dos mais de 500 associados da ACISAP, junto aos nossos governantes em todas as suas esferas, continuar buscando desenvolvimento para o nosso município e sua população em geral, mas principalmente nesse momento tão delicado e atípico que estamos atravessando, diante da pandemia mundial, manter nossa economia estável e preservar os empregos em SAP. Sem dúvidas, é primordial”.

REFLEXO DA PANDEMIA
Indagado a respeito das medidas tomadas pelo governo do Estado, Paulo José define o cenário como “preocupante pois o comércio, indústria e serviços do nosso município, não podem ser penalizados e indiretamente responsabilizados pelos casos e óbitos diariamente confirmados de COVID-19″. A prova disso – acrescenta o empresário – está nas sucessivas semanas que estamos em bandeira preta, onde temos restrições mais severas e recordes de casos e mortes. Soa contraditório. Isso é a comprovação da ineficiência da Gestão Covid-19 do Governo do Estado ao classificar as regiões por Cores de Bandeira x Agravamento da Situação”. No seu entendimento, o Governo do Estado toma frente às decisões dos municípios impondo o fechamento, decidindo a vida da população por uma cartela de cores, “deixando nosso prefeito sem autonomia. Indústrias, comércios e serviços, para puderem funcionar sob restrições, precisam e seguem, rigorosos protocolos de higiene, limpeza, equipamentos, número limitado de clientes e funcionários, distanciamento e fiscalização dos órgãos responsáveis, mas de nada adianta seguirmos todos os protocolos, se o contágio maior está onde essas regras não são seguidas e respeitadas: as aglomerações, festas clandestinas e demais situações em que as pessoas burlam as restrições”.
Na avaliação de Paulo José o que deveria ter sido feito em março de 2020 era ter preparado o sistema de saúde. “Não foi o que aconteceu, é o que está sendo feito hoje, às pressas. Os investimentos para este fim, foram repassados pelo Governo Federal e aplicados no famoso fluxo de caixa do RS. Muitas empresas fecharam, e poucos ou quase nada de leitos foram ampliados. As aglomerações de final de ano e o carnaval não conseguiram ser contidos, período em que a curva de contágio cresceu, junto ao colapso já existente no nosso sistema de saúde”. Acrescenta o presidente da ACISAP que o fechamento de tudo novamente, tirou a cogestão como forma indireta, só com outras decisões erradas e tardias. O caos e as perdas de vidas já estão sem controle, o que grita o fracasso da estratégia da bandeira transfere o ônus de repasse para prefeituras e sociedade em geral”.
Paulo José lembra que o momento pede cautela, humildade e correção dos rumos. “Os empreendedores no geral e seus colaboradores, pagam por erros que não são seus. O foco para enfrentar essa pandemia, deveria ter sido o perfeito funcionamento do nosso sistema de saúde”.

AGRADECIMENTO
Por fim, o presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços agradece a Folha Patrulhense e se coloca à disposição da comunidade. “Aos associados da ACISAP, conto com sua participação ativa, para que juntos tenhamos mais voz diante da busca por crescimento e desenvolvimento do nosso município, contando sempre com a parceria da nossa prefeitura, hoje representada pelas figuras do Rodrigo e do Marcelo. A toda a equipe da ACISAP desde já agradeço a dedicação, e espero que juntos possamos desenvolver uma gestão de muito trabalho e resultados positivos”, finaliza Paulo José de Moraes Barros.

MARCIONE
O ex-presidente Marcione dos Santos Gomes postou um agradecimento em sua página no Facebook e falou sobre sua gestão.
“Tenho que dar um suspiro longo para falar sobre esse assunto. Era para ser uma simples gestão como qualquer outra, mas daí veio a pandemia do Coronavírus. Vivi momentos tensos e angustiantes, por ver nosso comércio, indústria e serviços terem que fechar as portas e também ao mesmo tempo pessoas perdendo a sua saúde e suas vidas. Tentei de todas as formas negociar para termos o direito de poder trabalhar, mas sem esquecer da vida.
O Brasil e o mundo se dividiram em quem é a favor de fechar economia e quem é a favor de abrir, o governo do RS criou mapas de cores e definiu o que era comércio essencial e não essencial (nunca concordei com isso).
Arrumei inimigos, mas tenho certeza que muitos mais amigos, perdi noites de sono, sim, fiquei nervoso em reuniões que tivemos sobre o assunto, sim, tive derrotas e vitórias, sim, mas enfim, o recado quero deixar é que sempre me doei ao máximo e fiz tudo que estava ao meu alcance.
Saio com a sensação de dever cumprido e muito feliz por ter representado essa entidade tão importante e representativa na nossa cidade.
Gostaria de agradecer a toda a diretoria que fez parte na minha gestão, em especial a Maria Beatriz ou Bia como todos conhecem e toda sua equipe que trabalha na ACISAP. Hoje posso dizer que entendo porque nossa Associação Comercial e Industrial de Santo Antônio da Patrulha é tão forte, porque tem pessoas, associados e diretores que fazem a diferença. Juntos somos mais fortes.
Obrigado a todos vocês que me deram essa oportunidade de ser presidente e me fizeram crescer mais como pessoa, profissional e ser humano. Abraço a todos”.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade