Pedal de Inverno reúne 600 ciclistas de 24 cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina

O dia amanheceu com 7ºC de temperatura, mas nem o clima frio registrado no Vale dos Sinos nas primeiras horas de sábado (03) espantou os ciclistas do Núcleo de Casas Enxaimel, em Ivoti que sediou o Pedal de Inverno. O evento, gratuito, reuniu aproximadamente 600 atletas amadores, profissionais e grupos de pedal de 24 cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Os participantes puderam optar em percorrer o trajeto completo – de 30km e 400m de altimetria, com trechos de asfalto e estrada de terra – repletos de belas paisagens ou pedalar por 5,10km, conforme seu preparo físico.
“O evento foi realizado tanto para ciclistas amadores quanto para os experientes. Cuidamos para que os trajetos estejam de acordo para que todos consigam se divertir”, salienta Julia Balsemão, do Grupo Hoje Tem Pedal, organizador do Pedal de Inverno.
Segunda Julia, iniciativas como o pedal dão visibilidade ao esporte, além de proporcionar benefícios aos atletas. “As paisagens do nosso município são um dos diferenciais. O ciclismo também é uma forma de mostrar as potencialidades locais e reunir a família toda”, ressalta.
Às 5 horas da manhã, o despertador de Janine Renck, de 30 anos, tocou em Santo Antônio da Patrulha. Ela colocou o pé na estrada junto com a amiga Tais Santos, 46, e dirigiu por 107 km até Ivoti para participar da pedalada. “Estava com saudades de tudo isso, de poder pedalar com outros ciclistas em um lugar lindo, como Ivoti”, destacou Tais. Opinião semelhante à de Janine, que pedala há quatro anos. “Foi muito boa a pedalada e quero voltar para a próxima. É totalmente diferente, muito animado, muito bom mesmo”, diz.
Motivado pela necessidade de perder peso, o engenheiro eletrônico Roberto Alemida, 42, foi atraído para o ciclismo pela tranquilidade do esporte. Hoje, ele pedala cerca de quatro vezes por semana e de vez em quando se aventura em pedais e passeios ciclísticos. Para ele, as vantagens do pedal vão muito além de poder manter um peso ideal. “De manhã a gente vê o sol nacer, são coisas que não têm preço. O dia rende mais, é como uma terapia, o humor muda totalmente durante o dia e a família também fica satisfeita. É uma coisa que entrou na minha vida e não pretendo deixar tão cedo”, sintetiza.
O Pedal de Inverno arrecadou uma tonelada de alimentos não-perecíveis, doados no ato de inscrição do evento. O repasse será feito a entidades assistenciais ivotienses.

Por JOCELINE SILVEIRA/NH

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade