A notícia de maior impacto na comunidade de Santo Antônio da Patrulha aconteceu na manhã de quinta-feira (24), no gabinete do prefeito municipal.
O prefeito Rodrigo Massulo havia marcado reunião na prefeitura com a presença do vice-prefeito Marcelo Gaúcho, secretários da Saúde Toninho Selistre e Administração Cléia Airoldi, presidente da Câmara vereador André Selistre, vereadores Samuel Souza (Samuka), Diego Portal e Antônio Vieira Dias, bem como alguns servidores municipais, para que a administração da Santa Casa de Misericórdia fizesse uma prestação de contas sobre o que foi conseguido por aquela entidade em Santo Antônio da Patrulha.
Logo em seguida, o diretor geral, Dr. Julio Matos e o Provedor, Dr. Alfredo Englert entregaram ao prefeito, um comunicado explicando as razões que os levaram a tomar esta decisão, o que já consta em matéria especial da Santa Casa nesta edição a respeito da medida tomada.
Evidentemente que o Comunicado, lido durante a reunião do prefeito e assessores bem como do vice-prefeito Marcelo Gaúcho, do secretário Municipal da Saúde Antônio Selistre, da secretária da Administração Cléia Airoldi, do presidente da Câmara André Selistre, vereadores Samuel Souza, Diego Portal e Antônio Vieira Dias e assessores da prefeitura, colheu a todos de surpresa e o prefeito visivelmente surpreendido pelo anúncio, ainda tentou apresentar alternativas com mais recursos e até mesmo passagem do prédio para o controle da Santa Casa, porém o Provedor e o diretor geral Julio Matos afirmaram que o problema não é financeiro, mas sim, governamental.
O prefeito chegou a chorar com a decisão, sendo em seguida convocada a Câmara para uma reunião após o meio-dia quando todos foram cientificados do ocorrido.
A Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura publicou, ainda na tarde de quinta-feira, um comunicado à população sobre o ocorrido:
A Santa Casa de Misericórdia, por uma decisão unilateral, não será mais a gestora do Hospital de Santo Antônio da Patrulha.
Em audiência na manhã desta quinta-feira (24), no gabinete do prefeito Rodrigo Massulo, Julio Matos, diretor geral da instituição, juntamente com o seu provedor Alfredo Guilherme Englert, entregou ofício onde foram elencadas as razões pelas quais a Irmandade tomou a decisão de não mais gerir o HSAP.
No documento, são mencionadas: a inflação crescente sobre os custos hospitalares os quais exigem mais recursos extraordinários do município, diante do contrato deficitário mantido com o Estado; a incorporação do Hospital Dom João Becker de Gravataí, mais duas UPAs naquela cidade; a gestão de 43 Unidades Básicas de Saúde de Porto Alegre e a operação de mais um hospital dentro do complexo assistencial da Santa Casa.
Somam-se as estas questões, o fato de que a estrutura de gestão corporativa da instituição é a mesma para todas as suas atividades: RH, compras, controladoria, jurídico, financeiro, etc, e tendo em vista as incorporações mencionadas, assim como os impactos da pandemia COVID-19, o que requer foco de exclusividade e determinação em ações de recuperação da sua sustentabilidade. Diante disso, tornou-se absolutamente inviável a continuidade da gestão do Hospital, seja pelo fator escassez de gestão corporativa, distância, como também pela necessidade de atenção ao seu crescimento e satisfação do HSAP.
Nossa cidade, desde 2017, vinha contando com a credibilidade, a reputação e a responsabilidade da Irmandade Santa Casa de Misericórdia, a quem devemos total gratidão. Infelizmente, apesar dos esforços empenhados pelo prefeito no sentido de manter o convênio com a instituição, ficou patente a impossibilidade da sua continuidade. Contudo, também foi firmado o compromisso de que a própria Santa Casa dará todo o suporte necessário para a administração municipal, pelo tempo que for necessário, para a transição quando da chegada de uma nova entidade gestora. Até lá, não haverá descontinuidade nos atendimentos.
Quanto à situação dos profissionais que hoje atuam no HSAP, tanto o prefeito, quanto o secretário municipal de Saúde Toninho Selistre, comprometeram-se em pautar as negociações com quem vier a assumir nosso hospital, tendo como prioridade as indicações daqueles que desejarem permanecer.
O anúncio foi feito na presença do presidente da Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Patrulha, André Selistre, dos vereadores Samuel Souza, Diego Portal e Antônio Vieira Dias, do secretário municipal da Saúde Antônio Selistre, da secretária da Administração Cléia Airoldi e demais servidores do Hospital e da Prefeitura.”
Ainda na sexta-feira à tarde o prefeito, o vice e o secretário da Saúde foram até Taquara conversar com a administração do Grupo Vila Nova que administra o hospital daquele município, oferecendo a possibilidade de gestão no lugar da Santa Casa. Outras instituições, segundo o prefeito e o secretário da Saúde, também já manifestaram interesse em assumir a gestão do HSAP.
A Secretária de Estado da Saúde Arita Bergmann ligou para o prefeito Rodrigo Massulo na mesma data, tranquilizando-o e afirmando que um novo grupo gestor deverá ser definido em seguida.
Nesta semana haverá reunião em Porto Alegre, convocada por Arita Bergmann com o prefeito Rodrigo Massulo para examinar a questão relacionada com quem será o novo grupo gestor do HSAP.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade