Para que o patrulhense entenda melhor como funciona a logística da distribuição das vacinas contra a Covid-19, a Secretaria Municipal da Saúde traçou o caminho que vai desde a produção até chegarem no braço de cada pessoa que integre um dos grupos prioritários, conforme determina o Plano Nacional de Operacionalização Para Vacinação da Covid-19.

CONFIRA:
Travessia do mar – Para a produção das vacinas CoronaVac e AstraZeneca, que atualmente estão sendo aplicadas em Santo Antônio da Patrulha, os laboratórios do Brasil precisam do IFA (insumo farmacêutico ativo) e estes ingredientes são trazidos da China ou da Índia.
Produção – O IFA chega nos laboratórios brasileiros, que atualmente são o Instituto Butantan (São Paulo) e a Fiocruz (Rio de Janeiro). As vacinas são produzidas de acordo com a quantidade de insumos disponíveis.
Distribuição geral – Ao saírem dos laboratórios, o quantitativo das doses é informado ao Ministério da Saúde que determina a divisão para os estados, partindo do centro de distribuição de São Paulo.
Chegada no Sul – Após a chegada na capital, as vacinas são distribuídas para as coordenadorias regionais da Saúde. Santo Antônio da Patrulha pertence a 18ª Coordenadoria que fica em Osório.
Assim que chegam na 18ª Coordenadoria da Saúde, as Secretarias da Saúde dos municípios são imediatamente acionadas para buscarem suas unidades.
Tão logo seja avisada da chegada das vacinas em Osório, a equipe da Saúde segue para buscar as doses que o município tem direito. Entre o recolhimento das vacinas até a aplicação da primeira dose, o tempo médio tem sido de uma hora.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade