Moradora da Lagoa dos Barros teme pelo que possa ocorrer se Justiça autorizar funcionamento da ETE

A bióloga e moradora da Lagoa dos Barros, Sueli Lang dos Santos disse lamentar que “desde 2009 o caso ETE/Corsan/Osório vem se prolongando com tantas decisões enviesadas e inverídicas perante as leis ambientais”.
Ela disse acreditar que o Juiz e a Promotora de Justiça, “os quais estão a frente deste caso, especificamente ao manancial hídrico Lagoa dos Barros, ao pontuarem suas decisões, considerem o projeto ETE o qual é constituído por uma lista de irregularidades. Suas decisões terão somente duas vias: a morte e ou a vida da nossa querida Lagoa dos Barros, manancial hídrico relevante utilizado para irrigação agrícola, gerando emprego, renda e lazer para o município de Santo Antônio da Patrulha”.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade