Marinha alerta para possibilidade de ventos de 117km/h no Litoral

A Diretoria de Hidrografia e Navegação do Ministério da Marinha do Brasil participa que a passagem de uma frente fria poderá provocar ventos de direção Oeste a Sudoeste, com intensidade de até 88 km/h (47 nós), na faixa litorânea entre os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, ao sul de Laguna, de hoje  (15) 15 até a noite de amanhã, dia 16 de maio, seguidos de ventos de direção Noroeste a Sudoeste, com intensidade de até 117 km/h (63 nós), até a noite do dia 18 de maio. Essa mesma frente poderá provocar ventos de direção Noroeste a Sudoeste, com intensidade de até 88 km/h (47 nós), na faixa litorânea entre os estados de Santa Catarina, ao norte de Laguna, e do Rio de Janeiro, ao sul de Cabo Frio, da noite do dia 16 à noite do dia 18 de maio.
O referido sistema poderá provocar ondas, de direção Sudoeste a Sudeste, com alturas de até 6,0 metros, na faixa litorânea entre os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, ao sul de Laguna, com probabilidade de ressaca, com ondas de até 4,0
metros de altura, da manhã do dia 15 à manhã do dia 19 de maio. Por fim, há previsão de ondas de direção Sudoeste a Sul, com alturas de até 5,0 metros, na faixa litorânea entre os estados de Santa Catarina, ao norte de Laguna, e do Rio de Janeiro, ao sul de Cabo Frio,
com probabilidade de ressaca, com ondas de até 3,0 metros de altura, da manhã do dia 17 à manhã do dia 19 de maio.

DEFESA CIVIL

Por sua vez o coordenador municipal da Defesa Civil Miguel Evair enviou boletim agora à noite confirmando o risco de ciclone extratropical com possível classificação subtropical, favorecendo as rajadas fortes e intensas de vento e reforça a massa de ar polar.

Hoje um ciclone exctratropical se forma próximo à costa do Rio Grande do Sul, mas que gradativamente se afasta para o alto mar amanhã, segunda-feira. Contudo, com esse afastamento, ele se une a um outro ciclone extratropical que vem da costa do sul da Argentina, diminuindo a pressão no seu centro e intensificando.

Os ventos variam com moderada a forte intensidade na metade sul do Estado.

Na terça-feira (17) este sistema com condições para ser classificado como Ciclone Subtropical, se desloca do alto mar em direão ao Rio Grande do Sul.

Primeiramente, ele chega pela Região Sul, avançando para as demais regiões no decorrer do dia.

As rajadas de vento variam entre 60 a 80 km/h até os 110 km/h na faixa leste.

O mar fica bastante agitado com ondas de até 4 metros em áreas da costa gaúcha e há risco de destelhamentos, quedas de árvores e postes de energia elétrica, por conta das rajadas intensas de vento, especialmente na faixa leste.

Na quarta-feira, este ciclone tende a se deslocar para nordeste, costeando a faixa litorânea, mas os ventos seguem variando entre 80 e 100 km/h.

Entre terça e quarta-feira (17 e 18), além dos ventos provocados pelo ciclone, também há entrada de umidade do oceano que aliada a atuação da massa de ar polar, favorece as chuvas fracas a moderadas e a chance de precipitação invernal, como neve e chuva congelada em locais mais altos do Estado, especialmente na serra gaúcha.

Com o tempo instável e os ventos sobrando constantemente, as temperaturas não sofrem grandes variações, aumetando a sensação de frio, o que prejudica a população em situação de rua.

Na quinta-feira (19), as rajadas de vento seguem soprando com intensidade moderada a forte na faixa leste, mas com o afastamento gradual do ciclone, tende a diminuir no decorrer do dia.

Nos próximos dias, a Sala de Situação seguirá acompanhando a formação do ciclone e atualizando a previsão através dos boletins diário, matutino e vespertino. Também será avaliada a necessidade de envio de SMS, devido aos ventos intensos.

 

Folha Patrulhense com Boletim do Ministério da Marinha e Defesa Civil para Grupo 2M

 

Foto das redes sociais meramente ilustrativa

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade