Loja é investigada por suposta venda de material em apologia ao nazismo

O 1º Departamento de Polícia de Gravataí investiga a possível venda, por parte de uma loja da cidade, de material com apologia ao nazismo. O produto estava disponível no site Mercado Livre. A venda desses produtos, feitos de tecido, foi denunciada pelo vereador Leonel Radde (PT), que é da Policial Civil, de Porto Alegre. Ele registrou um boletim de ocorrência e fez postagens nas redes sociais com cópia dos anúncios.

No dia 14 deste mês, a Mercado Livre baniu a loja da plataforma. A loja acusada também emitiu uma nota oficial, lembrando que é uma empresa familiar existente há mais de dez anos e negou “ligação alguma com grupos nazistas”. Conforme a loja, os bordados referidos foram “comercializados para um grupo de paintball à época, não sendo de fato símbolos nazistas e, tão pouco, fazemos qualquer apologia ao nazismo”.

No Brasil, apologia ao nazismo é crime previsto no artigo 1º da Lei 7.716/89, com pena de reclusão de um a três anos, além de multa. A legislação considera apologia ao nazismo fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas e objetos de divulgação nazistas. Informações da Rádio Guaíba.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade