Kassiano Fraga fala sobre as ações do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação

A Lei 8.651/2021, encaminhada pela administração municipal e aprovada pela Câmara de Vereadores, formalizou a criação do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CMCTI). O grupo é composto por 10 pessoas, formado por representantes do poder público, iniciativa privada, sociedade civil e universidade.
Conforme o presidente do CMCTI e Diretor de Gestão da Secretaria Municipal do Planejamento e Desenvolvimento Econômico cada vez mais, a ciência, a tecnologia e a inovação estão presentes no nosso dia a dia. A pandemia, que trouxe muitos efeitos destrutivos, também tornou isso ainda mais evidente, seja através do desenvolvimento recorde de novas vacinas ou pela transformação digital que ela acabou levando para setores econômicos e da educação, possibilitando que o mundo não parasse e que nós nos reinventássemos de uma certa forma.

AÇÕES DESENVOLVIDAS
Apesar do pouco tempo de trabalho o CMCTI conseguiu realizar importantes ações em parceria com a Prefeitura e a FURG, quando foi formalizada a vinda do Oceantec, Parque Científico e Tecnológico, e da Innovatio, incubadora de startups da universidade, para o município, abrindo oportunidades para o desenvolvimento de projetos tecnológicos locais contando com a expertise de profissionais da FURG.
“Além disso, já realizamos duas edições do projeto Terças de Inovação, um evento que ocorre mensalmente onde contamos com a participação de especialistas em temas ligados à ciência, tecnologia e a inovação para conversar e tirar dúvidas da nossa comunidade sobre tendências nessas áreas”, destaca Kassiano.

PROJETO NOVOS AÇORES
Mais recentemente, foi lançado o projeto Novos Açores em parceria com a FURG/OCEANTEC e a empresa DocService, disponibilizando o primeiro de uma série de cursos gratuitos para formação inicial de Desenvolvedores Web. “Assim, pretendemos formar cada vez mais profissionais integrados à Nova Economia e preparar nossos cidadãos para o futuro. Ademais, também fomos um dos 3 municípios da região Metropolitana/Litoral Norte selecionados para receber o projeto Hora de Empreender, elaborado pelo Inova RS, no qual tive a honra de estar envolvido desde o ano passado. Com essa iniciativa, os alunos de ensino médio da Escola Patrulhense poderão conhecer conceitos de programação e criação de soluções inovadoras em formato de startups no turno inverso. Temos várias outras ações projetadas para os próximos meses e que em breve serão anunciadas, explica o presidente do CMCTI.

INOVAÇÃO COMO CENTRO DE ESTRATÉGIA
A intenção, conforme adianta Kassiano Fraga, é colocar a inovação no centro da estratégia de desenvolvimento do município, ou seja, aproximar e preparar nossa cidade para as oportunidades e desafios que se avizinham. E para que isso ocorra, os países e até mesmo as cidades que obtiveram êxito nesse desafio mostram que é fundamental que exista uma aproximação entre poder público, universidade, iniciativa privada e sociedade civil, a chamada quádrupla hélice, para a construção de uma agenda comum de desenvolvimento focada na inovação de acordo com as potencialidades locais.

PRIMEIRAS AÇÕES DESENVOLVIDAS
“Indústria 4.0, inteligência artificial, internet das coisas, 5G, são conceitos que, inicialmente, podem assustar e parecer distantes, porém, tendem a estar cada vez mais presentes em nossa vida e precisamos colocar esses temas em pauta no município. A tecnologia está alterando não apenas a forma como o consumidor e as empresas interagem, mas também a maneira como os alunos aprendem ou mesmo na interação entre cidadãos e os governos”.

TREINAMENTO
Um exemplo disso – explica Kassiano – é que, segundo o Fórum de Davos, nos próximos cinco anos, 50% da força de trabalho mundial vai precisar passar por algum treinamento para manter seus empregos, teremos que nos reinventar. Além disso, 55% das empresas consideram que o maior obstáculo da próxima década será a falta de talentos do mercado, ou seja, se antigamente as empresas eram movidas por incentivos fiscais, agora o grande diferencial serão os talentos presentes na cidade, precisamos ter isso em mente na hora de pensar o futuro do município.
“Há uma frase que gosto de utilizar que diz o seguinte: O futuro não é um lugar para onde estamos indo, mas um lugar que estamos construindo. Acho que é nesse sentido que as ações do Conselho devem ser vistas, como um parceiro na construção de um município conectado com o futuro”, conclui Kassiano Fraga, presidente do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade