Inteligência artificial aliada à inclusão de alunos com deficiência visual

Secretaria Municipal da Educação vai beneficiar 24 estudantes com equipamentos de tecnologia assistida

Priscila Milán

A rotina de estudantes com deficiência visual da rede municipal de ensino vai mudar com a utilização de óculos que possibilitam a leitura de textos, reconhecimento de rostos e identificação de objetos. Os equipamentos de inteligência artificial prometem facilitar o dia a dia dos alunos, visto que vão auxiliar na promoção de autonomia e criação de novas perspectivas.

Na tarde desta quarta-feira (1/6), a Secretaria Municipal da Educação (SMED) realizou, no Sindicato do Comércio Varejista de Gravataí (Sindilojas), uma solenidade alusiva à entrega de exemplares do OrCam MyEye para 24 estudantes com quadros de baixa visão ou cegueira.

“É um grande dia. Esse óculos abrirá portas para uma aprendizagem com mais significado, para o maior e melhor conhecimento”, ressaltou a titular da SMED, Magda Ely, ao explicar que a ferramenta foi adotada para diminuir barreiras, gerando qualidade de vida dentro e fora do ambiente escolar.

No evento, o prefeito Luiz Zaffalon destacou que a intenção é ampliar a oferta desse dispositivo tecnológico e inclusivo, que tem a empresa Mais Autonomia como representante exclusiva no Brasil. “Que bom que os israelenses desenvolveram essa tecnologia! E que bom que os deficientes visuais possam ter uma vida melhor com isso! Imagina ter esse óculos na biblioteca?”, comentou.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Educação Especial, Simone Coelho de Souza, os alunos mais novos ou com comorbidades, além dos problemas de visão, vão receber os óculos nos próximos dias. “Com eles será preciso um trabalho mais individualizado”, frisa.

Entusiasmado com a novidade, Augusto Francisco Kovalek Zacher, de 13 anos, aluno da Escola Duque de Caxias, recebeu o seu exemplar das mãos do prefeito e da secretária da Educação. A mãe do jovem, Kátia Zacher, revela que o óculos será de grande importância nas tarefas.

“Antes, ele precisava do meu auxílio ou de outra pessoa, mas agora terá mais autonomia para fazer as atividades na hora que puder. Quando ele fez o teste conseguiu ler um livro sozinho. Isso vai ajudar muito!”, celebra. Kátia, que é professora, aponta que ações para estimular a superação de limitações são essenciais para o desenvolvimentos dos estudantes com deficiência. Por isso, Augusto não dispensa desafios. Recentemente, o adolescente ficou em primeiro lugar na modalidade Xadrez dos Jogos Escolares.

A proposta de utilização do OrCam MyEye surgiu a partir de uma parceria da SMED com a Assessoria de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência (APPPD), ainda na gestão de Sônia Oliveira, falecida no ano passado.

A presidente do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência, Patrícia Lisboa, que esteve engajada na mobilização da época, também prestigiou a solenidade desta quarta-feira. “Eu sei que esse óculos vai fazer a diferença na vida dos alunos. Isso é ter respeito com as pessoas”, disse, acrescentando estar orgulhosa de participar desse momento especial.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade