Gravataí está preparada para receber vacina contra Covid-19

A Prefeitura de Gravataí conta com estrutura necessária para iniciar a vacinação contra a Covid-19. Para viabilizar de forma ágil a proteção da população, técnicos da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) estão prontos para atuar através da rede SUS no município. “Estamos preparados para iniciar a imunização assim que o Governo Federal, por meio da Anvisa, autorizar as doses no país. ”, destacou o prefeito Luiz Zaffalon.

O médico e vice-prefeito, Dr. Levi, garante que a imunização da população de Gravataí é uma prioridade do governo. “Assim que a vacina chegar, estaremos prontos para começar a vacinar as pessoas. Nossa equipe é experiente no manejo de aplicação de vacinas com experiência de outras campanhas de vacinação”, enfatizou.

De acordo com o secretário Municipal da Saúde, Régis Fonseca, a equipe já está montada. “Contamos com cerca de 200 vacinadores na rede pública de saúde. Assim como todas as unidades tem equipamentos adequados para o armazenamento de vacinas e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todos os profissionais. Até o final deste mês, possivelmente, já tenhamos uma definição de quando começará a vacinação dependendo apenas do envio das vacinas pelo Ministério da Saúde”, relata.

O Ministério da Saúde apresentou uma versão preliminar do Plano para a Vacinação contra o Covid-19 no Brasil, que terá como foco vacinar os grupos prioritários, maior exposição e transmissão do vírus. com maior risco de desenvolver complicações e óbitos pela doença, e as populações com maior exposição e transmissão do vírus.

Profissionais de saúde e idosos

No plano apresentado aos prefeitos da Região Metropolitana pela secretária Estadual da Saúde Arita Bergmann, os primeiros grupos a ser imunizados serão profissionais de saúde das redes pública e privada, além de idosos residentes em Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs).

A vacinação

O início da vacinação no Brasil é previsto entre os dias 20 de janeiro e 10 de fevereiro. No entanto, ainda é necessário que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprove o uso emergencial ou regular de algum dos imunizantes desenvolvidos.

O governo federal prevê 108 milhões de doses de vacina para grupos prioritários. Além disso, o Ministério da Saúde considera que 300 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 já estão garantidas. Existem acordos com a Fiocruz/AstraZeneca, por 100,4 milhões de doses até julho de 2021 e mais 30 milhões de doses por mês no segundo semestre, consórcio Covax Facility, por 42,5 milhões de doses, e a farmacêutica Pfizer, que deve ofertar 70 milhões de doses.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade