Gravataí é um dos municípios da Região Metropolitana com menor taxa de vítimas pela covid-19 por 100 mil habitantes

No último domingo, 28, o prefeito Luiz Zaffalon informou, nas suas redes sociais, que Gravataí tem uma das menores taxas de mortalidade pela covid-19 dos municípios da Região Metropolitana. Os dados mostram que o município conseguiu estabilizar o número de óbitos, diminuir o número de internações e aumentar o número de vacinados. A cidade registra 173 vítimas a cada 100 mil habitantes, índices menores que Canoas (262.5), Porto Alegre (226.2), Alvorada (214.5), Cachoeirinha (206.5) e Viamão (185.2).

Entretanto, o prefeito lembra que essa não é uma situação que se possa comemorar e afirma que o município não diminuirá as restrições e regras de distanciamento social por conta deste índice. “Toda morte é dolorida. É a mãe de alguém, o pai, esposa ou marido. Essa estatística é boa na questão da pandemia, mas queremos que esse número caia ainda mais. Devemos continuar com os cuidados, uso da máscara, álcool em gel e evitar aglomerações”, lembrou o prefeito.

As ações conjuntas de conscientização e cuidados sanitários, seguem sendo, as estratégias do município para combater a pandemia. “Estamos utilizando a segurança pública para combater as aglomerações, as redes sociais da Prefeitura para uma comunicação simples e eficaz, junto com os carros de som, as lives e demais ações. Com esses esforços e mais o apoio dos profissionais da saúde, sabemos que estamos no caminho certo. Vamos vencer esse momento”, disse o Zaffalon.

Situação dos leitos no município
Nesta terça-feira, 30, Gravataí estava com 100% dos leitos do hospital de campanha ocupados, 17 pacientes em observação e todas as 20 vagas de UTI ocupadas. De acordo com a Secretaria da Saúde (SMS), os leitos de emergência e enfermaria também estão quase em sua capacidade máxima, com 16 e 40 leitos ocupados, respectivamente.

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Abílio Alves dos Santos, na parada 74, também conta com 18 pacientes internados. A diretora do Departamento de Regulação, Patrícia Silva, lembra que pacientes graves devem procurar diretamente o Hospital de Campanha. “No caso de não haver gravidade, pedimos que o paciente vá até uma unidade de saúde ou à UPA da 74. São esses os locais indicados para quem não está com fortes sintomas”, avisou.

O secretário da Saúde, Régis Fonseca, afirma que para o município, voltar, a não ter superlotação, foi necessário a população atender às medidas de prevenção. “Estamos em uma situação estável, mas ainda não é o momento de relaxarmos. O distanciamento social e demais medidas preventivas foram essenciais para isso. Agora, devemos continuar assim, para melhorarmos cada vez mais. Usar a máscara, o álcool em gel, lavar as mãos e, se possível, ficar em casa, é fundamental”, afirmou.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade