Escola Municipal de Ensino Especial para Surdos completa 25 anos

Referência na educação de pessoas com deficiência auditiva e surdez, a Escola Municipal de Ensino Especial para Surdos (EMEES), completou 25 anos, nesta quarta-feira (21/7). Com história na busca por uma educação de qualidade para a comunidade surda do município, a escola atende, atualmente, 38 alunos que, além do ensino bilíngue, conta com profissional na área de fonoaudiologia, de assistência social e com sala de recursos. O prefeito Luiz Zaffalon destacou a importância da escola para o município. “Uma instituição que já formou cerca de 240 alunos merece todo o nosso respeito e admiração. São 25 anos de trabalho voltado ao desenvolvimento de pessoas com deficiência que saem da escola, encaminhadas para serem inseridas na sociedade e no mercado de trabalho. Isso só é possível, devido à educação de qualidade que recebem”, disse Zaffa.
Em ritmo de festa, a comunidade escolar preparou um momento, em meio à aula presencial, para cantar parabéns na língua de sinais. Entre os alunos, o sentimento de pertencimento e gratidão foi tão evidente que até mesmo os alunos que estudam, na forma não presencial, participaram de uma reunião virtual para comemorar o aniversário da escola.
Fundada em 1996, inicialmente como anexo da Escola Municipal Parque dos Eucaliptos, a escola teve início atendendo 17 alunos e, ao longo da sua trajetória, já chegou a atender até 80 estudantes. Com ensino bilíngue e, predominantemente, na Língua Brasileira de Sinais (Libras), os alunos podem ingressar na escola ainda na pré-escola, a partir dos quatro anos de idade. De acordo com a Secretaria Municipal da Educação (Smed), a instituição conta, hoje, com 15 professores, sendo dois surdos. A diretora da EMEES, Mariur Batista, destacou a importância de um professor surdo na escola. “Sem dúvida é uma referência para os alunos, que se espelham nestes profissionais”, disse. Mariur Batista reforçou também que a escola não é apenas um local de aprendizagem regular para os alunos, mas um espaço onde se é trabalhada toda a cultura surda, a busca pela identidade dos alunos e das famílias. A vice-diretora, Daniela da Silva, contou, também, que, além do atendimento aos alunos, a instituição fornece curso às famílias, gratuitamente, para que haja uma maior integração entre os alunos e os seus familiares.
Para a professora Rosemary Fortes, atuante na escola há 17 anos, celebrar os 25 anos deste projeto que começou pequeno, mas já transformou a vida de tantas pessoas, é fantástico. Apaixonada pela educação inclusiva, Rosemary, destacou, a importância do espaço para as pessoas surdas e relembrou que, durante alguns anos, a instituição chegou a atender, também, adultos, a partir de Educação de Jovens e Adultos (EJA).
A secretária municipal da Educação, Sonia Oliveira, lembrou que nos 25 anos da escola, a instituição passou a contar com mais um reforço no atendimento aos alunos e às famílias. Agora, a EMEES, também, conta com sala de recursos, especializada, em deficiência auditiva e surdez. O local possui atendimento especializado para a estimulação precoce e para a reabilitação de crianças que estão passando pelo processo de transição na perda de audição. “Nosso objetivo é que os alunos tenham um ensino de qualidade, com professores qualificados, promovendo, como nestes 25 anos, um ambiente totalmente inclusivo e especializado nas salas de aula”, reforçou Sonia.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nosso canal no WhatsApp
Publicidade