Escola de Ensino Fundamental Bilíngue para Surdos passa a ter turno integral

O prefeito Luiz Zaffalon participou, na tarde de sexta-feira (1º/4), da abertura oficial do turno integral na Escola Municipal de Ensino Fundamental Bilíngue para Surdos (o novo nome foi aprovado, na última semana, pela Câmara de Vereadores de Gravataí). Com capacidade para 43 alunos, a escola atende desde a educação infantil até o nono ano.

Escolas bilíngues priorizam a língua brasileira de sinais (LIBRAS) como a língua primária, e o português escrito como língua secundária para os alunos surdos – diferentemente das escolas inclusivas, que incluem os alunos surdos em salas de aulas mistas com alunos ouvintes, na qual a língua primária é o português.

Conforme a direção, em tempo integral, o estudante terá acesso a todas as áreas do conhecimento de maneira articulada e permanente, rompendo com a fragmentação das disciplinas e dando sentido aos conteúdos a partir das questões, trajetórias, experiências, recursos tecnológicos e relações dos sujeitos envolvidos nos processos educativos e sociais.

A diretora da escola, Mariur Ribeiro Batista, explicou que o aluno surdo precisa de um tempo maior de aprendizagem. Ela recordou que, durante o processo de construção do tempo integral, outras experiências serviram de referência, como a Escola Bilíngue Carmem Regina Teixeira Baldino, de Rio Grande. “Nossos agradecimentos à Smed pela realização de um sonho de anos”, disse a professora Mariur.

O prefeito Zaffalon voltou a ressaltar a importância dos investimentos em educação, como a principal ferramenta de preparação dos profissionais do futuro. “Para Gravataí, felizmente, dinheiro para a Educação não é problema, temos é que qualificar os processos à altura do nosso orçamento”, reiterou ele, elogiando os professores, a direção e a equipe da Secretaria Municipal de Educação (Smed) pela implantação do turno integral. “Hoje, com as lousas digitais, os professores levam o mundo para dentro da sala de aula. É com uma educação voltada para o futuro que iremos preparar nossos alunos para o novo mundo.”

Segundo a secretária municipal de Educação, Magda Ely, o turno integral é de um valor incalculável para a escola: “não é fácil transformar uma escola regular para uma de turno integral em tempo recorde. Para nós, é um orgulho imenso. Desejo de todo o coração que possamos fazer deste modelo um case de sucesso. Vocês merecem toda a nossa dedicação”.

“Conviver, por mais tempo, com os pares, e sentir a deficiência, mais horas no dia, permite que a criança, o estudante, com deficiência entenda cada vez melhor o espaço dele no mundo, de que é um sujeito com direitos e deveres”, observou a presidente do Conselho Estadual dos Direitos das Pessoas com Deficiência e servidora da Assessoria de Políticas Políticas Públicas para a Pessoa com Deficiência da Prefeitura de Gravataí, Patrícia Lisboa.

Participaram, ainda, da solenidade, o vice-prefeito Dr. Levi Melo; o vereador Dilamar Soares; a coordenadora do Núcleo de Educação Especial, Simone Coelho de Souza; o professor Cássio Freitas; o presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Roberto Barbosa; e o assessor de Políticas Públicas para a pessoa com deficiência Bruno Peixoto.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Publicidade