Vai pegar a estrada, não esqueça da revisão | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Vai pegar a estrada, não esqueça da revisão

Vai pegar a estrada, não esqueça da revisão

por Dijair Brilhantes

Um simples final de semana com a família ou uma período de férias podem ocasionar prejuízos e irritação. Cuidados básicos com o veículo como uma simples revisão antes de pegar a estrada podem fazer que você tenham ótimos dias de lazer.

O volume de veículos nas estradas aumenta a cada dia e, com ele, os acidentes. Os cuidados devem ser tomados por motoristas antes e durante a viagem. Planejar a viagem diminui os riscos de acidentes. Os tradicionais itens mecânicos devem ser checados no carro, como nível do óleo, calibragem de pneus, funcionamento dos faróis, entre outros.

Segundo Marcos Dorneles há outros itens que precisam ser verificados. “Revisar as mangueiras de arrefecimento, olhar se o sistema de refrigeração (ventoinha) está funcionando para evitar o aquecimento do motor na estrada, também é importante” disse o proprietário da oficina Radiadores Dorneles.

Motoristas conscientes

Os motoristas parecem estar entendendo a real importância das revisões antes de pegarem a estrada. O fluxo nas oficinas mecânicas tem um aumento considerável nas vésperas de feriados prolongados. “Hoje em dia os motoristas procuram fazer as revisões, porque entenderam que se o carro estragar na estrada o prejuízo é muito maior”, lembra Marcos.

O mecânico ressalta que as campanhas feitas através da mídia tem ajudado muito a conscientizar as pessoas. “As pessoas entenderam que a manutenção preventiva é a melhor solução e as informações repassadas pela mídia ajudam nisso”, conclui o mecânico.

 

Itens básicos para serem revisados

– Combustíveis e lubrificantes: abasteça em postos conhecidos por você e não deixe o combustível muito tempo parado no tanque antes de pegar a estrada.

– Filtros de ar, óleo e combustível: efetue a troca desse sistema conforme indicado no manual do proprietário. Trocar o óleo, por exemplo, sem a troca do filtro, diminui a vida útil do lubrificante.

– Limpador de para brisas: cheque se as lâminas e as borrachas estão em bom estado e se os encaixes das hastes estão seguros. Lave a borracha das palhetas apenas com água.

– Freios: o nível do fluído de freio e possíveis vazamentos devem sempre ser checados. Se houver ruídos, trepidações, perda de eficiência ou pedal duro, peça uma avaliação mais minuciosa.

– Velas e cabos: alguns fabricantes indicam que as velas devem ser examinadas a cada 10 mil km e os cabos trocados a cada 50 mil km. Qualquer falha neste sistema pode ocasionar desgaste prematuro e comprometer a vida útil de outros componentes.

– Suspensão: o sistema de amortecimento e estabilidade do veículo é tão importante quanto o dos freios. Além dos amortecedores, as molas, as buchas, as bandejas, os pivôs e os terminais também merecem inspeção para evitar que você saia da sua rota.

– Correia dentada: a substituição preventiva desse elemento, segundo os fabricantes, deve ser efetuada (em média) a cada 50 mil km. Mas uma verificação em cada 15 mil km pode apontar trincas e desgastes indicando a necessidade de troca. O rompimento desta peça pode danificar gravemente o motor.

– Radiador: respeite a data limite de troca do líquido de arrefecimento do motor. E peça para seu mecânico conferir o funcionamento da válvula termostática, do radiador, da bomba d’água, da ventoinha e dos marcadores de temperatura no painel.

– Sistema elétrico, faróis e lâmpadas: para viajar com segurança, é importante também fazer um check-up na bateria, no motor de partida, no alternador e em todas as lâmpadas e fusíveis do carro. Lembre-se, você pode pegar uma serra com neblina ou estrada em dia de chuva. E não deixe dispositivos elétricos funcionando por muito tempo, como o rádio, caso o motor esteja desligado.

– Pneus: mantenha os pneus calibrados, incluindo o estepe. Faça rodízio periódico para equilibrar os desgastes irregulares. O balanceamento é indicado quando você sentir vibrações no volante. Já o alinhamento, quando houver desequilíbrio direcional, ou na troca do conjunto.