Magda Bartikoski retorna à Coordenadoria Regional da Saúde | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Magda Bartikoski retorna à Coordenadoria Regional da Saúde

Magda Bartikoski retorna à Coordenadoria Regional da Saúde

Trabalhando há mais de 20 anos em Saúde Pública, Magda Bartikoski reassumiu recentemente o cargo de Coordenadora Regional da Saúde, função que já havia exercido em 2015 e 2016, de onde saiu para assumir a Secretaria Municipal da Saúde. E foi na virada do ano de 2015 para o ano seguinte, que chegou a administrar o hospital na saída da firma Germann e Pechmann.
Com profundo conhecimento na área, ela tem grandes desafios pela frente como revela nesta entrevista exclusiva concedida à Folha Patrulhense.
FOLHA PATRULHENSE: Coordenas pela segunda vez esta importante função. Como recebeste essa indicação?
MAGDA BARTIKOSKI: Eu fiquei muito feliz com o convite. Estive em entrevista com a secretária Arita Bergmann, apresentei meu currículo. Como tenho conhecimento na gestão de municípios e conheço também as funções de um coordenador, sei das peculiaridades dos 23 municípios que compõe a região, retornei sabendo a demanda que me aguardava. Reconheço o corpo técnico da 18ª CRS, como um dos melhores do Estado e sabia que poderia contar com todo conhecimento de todos. Realmente trabalhar na 18ª é um aprendizado e um presente para mim.
FOLHA: Atribuis a escolha ao teu amplo conhecimento sobre saúde púbica?
MAGDA: Creio que sim. Trabalho com saúde pública há mais de 20 anos, como assessora de planejamento, Diretora Técnica, Secretária, Coordenadora Regional. Fiz parte do Conselho de Saúde por 20 anos, como membro da SETEC. Um aprendizado muito importante.
FOLHA: Quais metas pretendes atingir nessa importante função?
MAGDA: Agora enfrentando esta pandemia estamos muito envolvidos, mas pretendemos trazer um número maior de especialidades, regionalizar estes atendimentos, cardiologia, ginecologia, traumato/ortopedia, oncologia, para evitar que se busque estes serviços em Porto Alegre, que já está saturado, por isso é tão importante trazer mais serviços para região. Agora a Secretaria Estadual está ampliando leitos de UTI’s. Importante passo para que nossos pacientes fiquem aqui. Outra coisa importante é aumentar os leitos de saúde mental. Organizar os fluxos entre hospitais e serviços.
FOLHA: Como vês hoje a Saúde no Litoral?
MAGDA: É claro que há muito por fazer. Mas a organização de serviços por parte da Secretaria Estadual trará grandes melhorias. Abrindo serviços novos. Abrindo leitos de retaguarda, de longa permanência, desburocratizando ações, tornando tudo mais ágil, pagando hospitais em dia, vejo grandes melhorias. Exemplo: Fizemos um levantamento de que faltavam 25 mil doses da vacina H1N1, por terem migrado muitas pessoas para o litoral, a Secretária liberou rapidamente a distribuição das vacinas. Isto é fazer gestão com eficiência. Estou muito confiante.
FOLHA: E Santo Antônio como está?
MAGDA: Santo Antônio está no caminho certo, protegendo a população, tomando medidas necessárias e buscando recursos com boas intenções de melhorar o atendimento da população.
Charlis é uma pessoa inteligente, dedicada e atenciosa. Ele busca o aprendizado, importante para esta função que exerce. Estamos sempre aprendendo e nos atualizando. Vale ressaltar que o grupo técnico da Secretaria é de excelência.
FOLHA: Qual tua avaliação sobre nosso hospital e a gestão da Santa Casa, já que foste peça fundamental quando da transição da antiga gestão Germann e Pechmam?
MAGDA: O Hospital Santa Casa/Santo Antônio trouxe grandes inovações, principalmente no serviço de imagem. Deverá com o tempo aumentar o número de cirurgias eletivas e buscar novos serviços. Sabemos que tem competência para tal. Estamos na 18ª CRS para colaborar.
A transição Germann para a Prefeitura nós gerou um trabalho enorme, contas a pagar, não prestação de vários serviços. Enfim, acabou que quando assumi a Secretaria em 2017, assumi a administração do Hospital, toda via tínhamos ótimos colaboradores: Dr. Augusto, Cassiano Brunetto, Lezia, enfermeiras e técnicas, Dr Sérgio, Denis Maurício no Raio X, bem como nossos servidores da prefeitura que comandavam as recepções.
FOLHA: O que mais gostarias de acrescentar?
MAGDA: Coloco-me a disposição dos 23 municípios do litoral para fazer uma gestão integrada, ouvindo servidores, valorizando-os, trabalhar com o COSEMS, AMLINORTE e pretendo que a planificação da saúde nos municípios se expanda, pois os métodos só têm a qualificar o atendimento nas nossas unidades de saúde. Santo Antônio sempre terá minha atenção.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *