Coordenadora Regional de Saúde fala sobre o Coronavírus no Litoral Norte | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Coordenadora Regional de Saúde fala sobre o Coronavírus no Litoral Norte

Coordenadora Regional de Saúde fala sobre o Coronavírus no Litoral Norte

A Coordenadora Regional da Saúde fala sobre os casos de COVID-19 na área de atuação da CRS revelou que o cenário regional aponta hoje 91 casos confirmados, tendo ocorrido um aumento gradativo. São pessoas que estão em áreas monitoradas e que devem ficar em isolamento. Os casos hospitalizados são de apenas três pacientes. Magda Bartikoski afirmou que o Coronavírus hoje é comunitário, perigoso, mas curável. Há o tratamento que pode ser domiciliar e é preferível do que a pessoa seja hospitalizada.
A respeito de um óbito ocorrido há poucos dias em Osório, ela afirma que se trata de uma pessoa que residia em Roca Salles, mas que foi hospitalizada naquele município do Litoral Norte, no qual veio a falecer.
“Hoje temos 419 pessoas monitoradas em isolamento domiciliar, que são aquelas que tenham tido contato com infectados, mas que não apresentam os sintomas.
Há 274 casos suspeitos em isolamento, e que já apresentam os sintomas e que por isso, são chamadas de assintomáticas. Torres lidera com 29 casos seguido de Três Cachoeiras com 14, Osório com 11, Capão, Tramandaí e Santo Antônio com 7 casos, 4 em Arroio do Sal com um óbito, Cidreira com dois casos e um óbito e Imbé com um caso.
Os óbitos atingem mais pessoas do grupo de risco por já terem imunidade baixa em função da idade, tendo outros históricos como diabetes e hipertensão. ”Portanto, que fique claro que o que nos salva é a imunidade”, frisa a Coordenadora.
MÁSCARAS
A Coordenadora Regional de Saúde fala sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras, ao referir o fato de que todo o Litoral Norte, incluindo Santo Antônio, passou para o Grupo Laranja: “Agora temos que ter todo o cuidado para não passarmos para as bandeiras vermelha e preta”, alerta Magda.
Explica que com a bandeira laranja, o decreto se torna bem mais rigoroso e rígido. Uma série de eventos que antes podiam ser realizados, agora ficam impedidos. As pessoas têm que ter cuidados consigo, com parentes, com o próximo para que o vírus não se alastre e agora, com a obrigatoriedade do uso de máscaras, passarão a ser muito mais cobradas. “Com essa bandeira, se os casos continuarem aumentando os decretos vão sofrer alterações ainda mais severas. Hoje, a máscara passa a fazer parte de nossa indumentária e já não mais podemos pensar em sair de casa sem ela. É preciso que haja fiscalização e que aconteçam autuações, pois só assim as pessoas vão respeitar as decisões”, adverte Magda.
PERCENTUAIS
Magda explica que numa incidência por 100 mil habitantes, temos 39,2 de contaminados no Belas Praias, que inclui Torres e Três Cachoeiras, na Bons Ventos temos 11,4. Em toda a 18ª CRS por 100 mil habitantes, temos 22,7, abaixo do que tem o Rio Grande do Sul, que é de 25,9 e o Estado bem abaixo do que tem o Brasil com 83,7%.
UTIs E LEITOS DE RETAGUARDA
Na área da 18ª CRS há 10 leitos de UTI reservados para COVID-19 em Torres, 11 em Capão da Canoa, 10 em Osório e 16 em Tramandaí.
A CRS preparou leitos de retaguarda e que são para pacientes que não precisam mais estar dentro de hospitais e que podem ser transferidos para hospitais menores e de menor complexidade. Assim, Osório tem 20 leitos de retaguarda, São Luiz tem 2, Nossa Senhora dos Navegantes tem 7, Tramandaí tem 6, São José de Palmares liberou os seus 39 leitos para retaguarda, enquanto Santo Antônio, que tem o maior número, disponibilizou 48 leitos. Hoje também existem 68 respiradores em hospitais e 12 em municípios da região.
Magda também está atendendo pedidos de prefeituras de barracas do Exército. Santo Antônio já tem uma na frente do Hospital Santa Casa/Santo Antônio e pediu mais três para os postos de Miraguaia, Vila Palmeira e Menino Deus.
E por fim, um alerta da Coordenadora Magda Bartikoski: “Muitos levam na brincadeira, mas são coisas muito sérias e temos que respeitar os decretos para preservar a vida de todos nós”.