MAIS UM CAPÍTULO NA NOVELA CARAÁ-SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA‏ | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

MAIS UM CAPÍTULO NA NOVELA CARAÁ-SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA‏

MAIS UM CAPÍTULO NA NOVELA CARAÁ-SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA‏

A novela da estrada Caraá-Santo Antônio continua. São incontáveis as audiências desde o começo da novela ao tempo do ex-governador Antônio Brito que do alto de um palanque em plena campanha eleitoral prometeu o asfalto que até hoje não foi concretizado.

Depois vieram os governadores Olívio Dutra, Alceu Collares, Germano Rigoto e Yeda Crusius até chegar ao atual ocupante da cadeira do Palácio Piratini, governador José Ivo Sartori. “A esperança agora está nas mãos do gringo!”, disse um morador que já não tem muita expectativa quanto ao futuro da novelesca situação.

O que existe de concreto é um trecho de 9,5 km esburacado e que de vez em quando tem uma patrola para tentar remendar o que já está remendado. Mas é coisa de pouco tempo, seja pelo tráfego intenso, seja pela chuva que leva tudo literalmente por água abaixo.

Até agora o que existe são reuniões regadas a cafezinho e água gelada nos gabinetes governamentais, especialmente no DAER, com ouvintes acompanhando as explicações de políticos e técnicos sobre o assunto.

Os mais recentes contatos ocorreram no DAER e na Assembleia Legislativa, essa última, através de audiência convocada pela Comissão de Assuntos Municipais, onde os municípios sem acesso asfáltico foram à Porto Alegre buscar alguma coisa  concreta.

Enquanto um grupo tenso de moradores se acotovelava na sala da Comissão, centenas de moradores continuaram comendo pó ao serem “brindados” por nuvens de poeira tóxica, causando problemas, cada vez maiores aos pulmões o que redunda em sérios entraves para a saúde.

Explica-se: os técnicos comprovaram que o piche colorado  num trecho da estrada pela empreiteira e cuja obra foi paralisada misturou-se ao pó transformando-se em poeira tóxica o que implica em aumento de doenças pulmonares.

O professor Telmo Gomes é um líder nato em Caraá e já sentenciou: “Não vamos parar até que o asfaltamento reinicie porque a situação é grave como admitiu um engenheiro do DAER”. E o problema é tão sério que, conforme acrescenta Telmo, o próprio secretário dos Transportes Pedro Westphalen se sensibilizou com a situação afirmando que a questão de Caraá vai ser prioritária.

 

PARALISAÇÕES

Lembra Telmo que  a comunidade já fez duas paralisações mas o problema da poeira aumenta cada vez mais.  Adianta que há pessoas que estão se mudando porque os problemas de saúde aumentaram. Até mesmo o mercado nos Cazuza fechou suas portas pela diminuição da freguesia. O outro problema é econômico. Com a produção saindo pelo Monjolo para chegar à sede de Santo Antônio o percurso aumenta em 70 por cento encarecendo os custos.

O escoamento da produção de hortifrutigranjeiros também enfrenta dificuldades para o escoamento. Telmo frisa que o município é uma das regiões mais prósperas nessas culturas, devido ao sistema de micro-climas existentes. E cita como exemplos o vinho e o suco artesanais, pois a terra apresenta baixo índice de acidez no solo o que favorece o desenvolvimento da uva. Também se cultiva pêssego, laranja, citro, abacaxi, etc. Por semana saem ao redor de 60 caminhões de hortifrutigranjeiros para abastecer a CEASA e outros mercados da região. Também a pecuária de corte é expressiva, destacando-se o semi confinamento. As principais localidades são Fraga, Rio dos Sinos e Alto Caraá.

 

APOIOS

Telmo Gomes adianta que a comissão também precisa agora mais do que nunca do apoio do prefeito e a câmara de vereadores para a busca de uma solução e que esse é o momento da união de todos, esquecendo divisões partidárias para que Caraá  termine ganhando o que tanto reivindica que é o asfaltamento. O prefeito Sílvio Fofonka, por sua vez, tem se mostrado um batalhador incansável. “Estamos praticamente todas as semanas batendo nos gabinetes de deputados, do DAER e do Governo do Estado buscando uma solução para esse problema da estrada porque a situação está aflitiva”, desabafa Fofonka. Também é fundamental buscar o apoio dos deputados da região, “porque se eles tiveram votação expressiva precisam agora dar o apoio de que Caraá tanto precisa.”

 

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL

Uma ideia que está tomando corpo entre empresários e comerciantes do município é a fundação da Associação Comercial e Industrial de Caraá. O professor Telmo Gomes, que concedeu esta entrevista na Folha Patrulhense foi orientado a procurar a secretária executiva da ACISAP Beatriz Marques para se inteirar dos trâmites e tudo indica que em breve Caraá também terá a sua Associação Comercial, sendo peça importante na busca de uma solução para o asfaltamento que deverá alavancar o desenvolvimento de Caraá.



A Falcon5M foi criada em Porto Alegre para o Brasil todo a partir da união entre as empresas W5M Comunicação e Falcon Designer, ambas com ampla experiência de 6 anos no mercado.