Redução do número de professores do NEEJA não está sendo aceita pela comunidade | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Redução do número de professores do NEEJA não está sendo aceita pela comunidade

Redução do número de professores do NEEJA não está sendo aceita pela comunidade

Na sexta-feira, 29 de março, nas dependências do Núcleo Estadual de Educação de Jovens e Adultos e de Cultura Popular – Rizoma (NEEJA), por ordem da 11ª Coordenadoria Regional de Educação foi realizada importante reunião para debater a redução do quadro de pessoal de 22 para apenas seis professores, exigido pelo atual governo gaúcho. Contando com as presenças, além da direção, professores, alunos e ex-alunos, o vice-prefeito José Francisco Ferreira da Luz, o chefe de gabinete do prefeito Gabriel Diedrich representando-o na oportunidade, o presidente do Legislativo Rodrigo Massulo e vários vereadores, a coordenadora do Polo Universitário professora Dilce Eclai de Vargas Gil Vicente, o secretário de educação de Terra de Areia e representa da SEMED de Xangri-lá.
A coordenadora da CRE, Silvana Tedesco Cardoso Rodrigues, a coordenadora adjunta Rosângela Macedo e a responsável pelos Recursos Humanos professora Cláucia Marcon, foram apontadas como responsáveis por levar a efeito as medidas do corte de pessoal. A diretora do Núcleo, professora Aura Maria dos Santos Martins, apoiada por professores, alunos e ex-alunos, apresentou trabalho pedagógico desenvolvido conforme o Regimento Escolar que prevê programas de apoio aos estudantes que diariamente retornam para conclusão dos estudos. São atendidos atualmente cerca de dois mil alunos distribuídos nos Ensinos Fundamental, Médio e Currículo por Atividades. A professora Aura destacou o apoio das lideranças locais, representantes de municípios vizinhos. Esta semana, durante período de matrículas de interessados de vários municípios, ela explicou o que está acontecendo e que poderá inviabilizar todo o trabalho que vem sendo realizado. Os próprios alunos criticam a medida, conforme a reportagem ouviu esta semana, quando aguardavam o momento da matrícula. A alegação da Secretaria de Educação é de que a medida está sendo tomada porque há carência de professores em salas de aula.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *