QualiCôco investe cerca de 20 milhões de reais em fábrica no Nordeste | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

QualiCôco investe cerca de 20 milhões de reais em fábrica no Nordeste

QualiCôco investe cerca de 20 milhões de reais em fábrica no Nordeste

A QualiCôco, empresa patrulhense, está investindo há alguns anos no Nordeste. O fato chamou a atenção da grande Imprensa. A Jornalista Marta Sfredo publicou em sua coluna desta terça-feira no portal GaúchaZH, a seguinte matéria que teve a colaboração de Camila Silva:
“Com sede em Santo Antônio da Patrulha, a QualiCôco planeja aumentar o número de produtos
A QualiCôco, empresa gaúcha que tem como base uma matéria-prima típica do Nordeste, está expandido os negócios na região de produção. Com sede em Santo Antônio da Patrulha, a empresa produz derivados da fruta, como coco ralado.
Há dois anos, abriu um parque fabril em Rio Largo, interior de Alagoas. Ainda no primeiro semestre de 2021, planeja triplicar a capacidade na unidade nordestina — o investimento previsto está entre R$ 20 milhões e R$ 30 milhões. Segundo o diretor comercial e de operações da QualiCôco, Litiéri Gomes, o plano de expansão foi acelerado durante a pandemia, já que a meta de faturamento para este ano foi ultrapassada:
— É até um pouco contraditório (risos), somos uma indústria de coco ralado no Rio Grande do Sul, não tem muito a ver. Há 30 anos, a empresa iniciou por conta de uma demanda local, já que estamos em uma região de produção de doces. Inicialmente, trazíamos a matéria-prima para o Estado, mas não conseguíamos aproveitar a fruta completamente, não usávamos para fabricar leite e água de coco, porque logística é complexa. A expansão da fábrica do Nordeste é para aproveitar melhor a matéria-prima. Estamos planejando há dois anos, desde que chegamos a Alagoas, mas a pandemia acelerou o processo.
No início no ano, a empresa projetava ampliar o faturamento em 35% em comparação com o ano passado, mas ultrapassou a marca e já aumentou em 40% os rendimentos. Para o ano que vem, a meta é faturar 45% a mais do que 2020. A expansão da fábrica no Nordeste se dará em etapas, sendo que a primeira delas contempla a inauguração de uma unidade fabril de 8 mil metros quadrados.
Segundo Gomes, além de se “aproximar” da matéria-prima, a empresa projeta aumentar o número de produtos de fabricação própria. Hoje, a água de coco que vende é terceirizada:
— Terceiramos todo o processo. Um dos nossos projetos, com a expansão, é desenvolver o produto em ‘casa’, já que tem um grande potencial para exportação. Além disso, também queremos incluir no nosso portfólio os chips de coco que vendemos.
Sobre a fábrica do Rio Grande do Sul, Gomes afirma que seguirá operando normalmente:
— Somos gaúchos e ainda nos consideramos uma empresa muito regional. O Estado representa uma fatia importante do nosso faturamento, nossa fábrica não vai parar. A unidade vai se transformar em um braço estratégico da operação no Nordeste. Além disso, temos compromisso com a economia do Estado e a geração de emprego. Temos muitos projetos, como a entrada no mercado de cosméticos. O coco ralado está despontando como uma matéria-prima importante para o segmento. A empresa não tem plantação de coco, mas não descarta a possibilidade de plantar coqueiros para chamar de seus nos próximos anos”.