Quais seriam os candidatos se as eleições realmente acontecerem este ano? | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Quais seriam os candidatos se as eleições realmente acontecerem este ano?

Quais seriam os candidatos se as eleições realmente acontecerem este ano?

O quebra-cabeças para a eleição municipal ainda não está montado em Santo Antônio da Patrulha, mesmo que existam confirmações de nomes como pré-candidatos como a FOLHA PATRULHENSE já publicou, e as conversas sobre quem serão os indicados pelos partidos para concorrerem à eleição municipal majoritária continuam. A bem da verdade, as convenções, que pela primeira vez na história deverão ser virtuais, é que irão ungir os, ainda pré-candidatos.

Esses rumores passaram a se acentuar depois que o Tribunal Superior Eleitoral falou em adiamento das eleições, com realização ainda este ano, em novembro e dezembro.

Mesmo que se fale muito em sucessão, é muito importante lembrar que o mais urgente é seguir as regras estabelecidas para, em primeiro lugar, superar a pandemia que poderá causar ainda muitas mortes no Rio Grande do Sul. Mas o quadro que vem sendo discutido aí está:

PP: Seria o vereador Rodrigo Massulo na cabeça, com Bacana ou Zezo. Marcelo Gaúcho apoiaria Massulo caso o PTB estivesse com o PP.

No MDB, os entendimentos envolvem os pré-candidatos André Randazzo dos Reis e Ferulio José Tedesco como possível chapa, mas também postulam a indicação, Charlis Santos e Manoel Adam.

No PTB, caso não haja acerto com o PP, poderá haver chapa própria com a composição formada por Bacana e Gonha.

Como em eleições todas as hipóteses são debatidas, fala-se até numa possível negociação entre o MDB e o PTB (o que parece ser uma possibilidade bastante remota). Se isso acontecesse, Marcelo Gaúcho já disse que apoiaria Massulo do PP. O que é mais provável é que o MDB vá com candidatos próprios à majoritária como foi dito acima.

No PDT os pré-candidatos são Andrei Niekrachevicz e Eduardo Berbacha Soares.

Mas é oportuno lembrar que tudo são apenas conjeturas, porque o mais urgente agora é que todos se envolvam e se empenhem com toda a dedicação para superar essa pandemia que ameaça, cada vez mais, atingir duramente as comunidades gaúchas em virtude do inverno que está chegando.



Profissional atuando há 50 anos no jornalismo.