Psicóloga e assistente social falam sobre a saúde do homem | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Psicóloga e assistente social falam sobre a saúde do homem

Psicóloga e assistente social falam sobre a saúde do homem

Apontam sobre a necessidade de discutir a construção sociocultural da masculinidade e o papel do homem perante à sociedade, a psicóloga Rutieli Portalli do Hospital Santo Antônio da Patrulha da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, destaca que “muito se vê a respeito do comportamento masculino dito como padrão que ainda hoje se perpetua, havendo a necessidade constante de incentivar a desconstrução dessa visão e motivação pela busca do autocuidado”.
Entende a psicóloga que é importante propagar ideias de aproximação entre as demandas de saúde do homem e os serviços de saúde ofertados pelo município, desmistificando a falácia de que o homem não pode expor seus medos e sentimentos, proporcionando espaços de informação para que os homens se sintam mais à vontade para apresentar suas necessidades e assim serem acolhidos.
A assistente social Irene Dalbello, que com Rutieli falou a respeito desse assunto, destaca que a preocupação com o cuidado da saúde do homem vem mudando ao longo dos anos, e acrescenta: “Temos uma política nacional voltada à saúde do homem que apresenta possibilidades de cuidados necessários em todas as instâncias e buscando uma melhora considerável no acesso desse público”. Rutieli percebe que hoje o homem está mais preocupado com a saúde no que se refere à prevenção, demonstrando maior consciência do seu envolvimento no processo de cuidado e desenvolvimento do olhar para si, impactando, assim, em melhorias como na performance no trabalho e demais relações, visando uma vida mais saudável.

PLANEJAMENTO FAMILIAR
Em relação ao planejamento familiar, as profissionais reforçam o conteúdo da LEI nº 9.263, de janeiro de 1996, que cita o direito da liberdade reprodutiva e garante acesso na saúde pública, ofertando atendimento especializado e informações a respeito de meios e técnicas contraceptivas.
Muito se fala sobre métodos contraceptivos femininos, porém, a Lei também engloba procedimentos que podem ser adotados pelos homens. Um exemplo é a vasectomia, sendo indicado sempre buscar atendimento com profissional especializado para esclarecer dúvidas e encaminhar processo mais adequado para cada indivíduo. Facilitando, assim, a desmistificação acerca desse assunto.