Patrulhense é gerente de rede de restaurantes em Winchester na Inglaterra | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Patrulhense é gerente de rede de restaurantes em Winchester na Inglaterra

Patrulhense é gerente de rede de restaurantes em Winchester na Inglaterra

Desembarcando em Londres no domingo de três de dezembro de 2006, portanto, há 14 anos, Francisco Ramos da Cunha, filho de Daniel Cunha (in memoriam) e de Marlene Ramos da Cunha chegou para iniciar uma nova etapa em sua vida. Oriundo de uma cidade do interior (Santo Antônio), ele se deparou com a imponência da capital britânica, aliada à fascinante história daquele país, Kikinho, como era conhecido desde a infância e hoje com 36 anos, casado com uma húngara, sentiu a receptividade do povo britânico e se apaixonou duas vezes: pela nova terra e pela mulher a quem conheceu naquele país. Desde o começo decidiu: seria ali sua segunda pátria.
Importante lembrar que esta matéria foi possível pelo apoio proporcionado pela dra. Digiane Stecanela, já que foi Francisco quem deu grande apoio ao seu irmão Lucas, quando do acidente por ele sofrido há cerca de um ano naquele país.
Ele é o nosso entrevistado desta semana, o que encerra uma série de matérias com patrulhenses que estão residindo no exterior e que iniciamos no mês de março. No entanto, continuamos abertos a outros possíveis rapadureiros que estão no estrangeiro para contar as suas histórias.
FOLHA PATRULHENSE: O que te levou a ir morar fora do Brasil?
FRANCISCO RAMOS DA CUNHA: Minha irmã morou em Londres em 1995 e lá conheceu meu cunhado. Eles comentavam muito sobre a experiência que tiveram, sendo com certeza os maiores incentivadores. Eu tinha vontade de morar em outro pais, e muita curiosidade em conhecer a Inglaterra, mais precisamente Londres e foi desta forma que iniciei minha grande experiência.
FOLHA: Como foi a ambientação em um país diferente?
FRANCISCO: No começo é sempre difícil, porque temos a barreira do idioma, cultura diferente, clima. Minha irmã tinha alguns amigos e foram eles que me acolheram. Brasileiros sempre se ajudam e sempre se unem. Somos um povo acolhedor em qualquer lugar do mundo! Hoje posso dizer que a Inglaterra é o Pais que escolhi para viver e construir minha vida. Sou casado, tenho minha casa, meu trabalho e é aqui que terei meus filhos. Apesar de sentir muita saudade da minha família, amigos e de muitas coisas do meu país de origem, a Inglaterra me acolheu e me conquistou. Hoje estou adaptado e não teria porque retornar ao Brasil, apesar da saudade que tenho de todos.
FOLHA: Qual a tua atividade?
FRANCISCO: Eu moro em Gosport cidade litorânea no sudoeste da Inglaterra e trabalho em Winchester, capital do Condado de Hampshire, há dez anos para uma rede de restaurantes chamada “Dim t” especializada em culinária asiática atuando na área administrativa como gerente geral.
FOLHA: Quanto ao grande problema da atualidade, que é o Covid-19, como está esta situação aí na Inglaterra?
FRANCISCO: Apesar de estar em um país de primeiro mundo, as dificuldades enfrentadas não são diferentes, e um vírus novo, que está sendo estudado e apresenta variantes quase que diariamente. O diferencial é ser um país rico, que tem um programa de saúde excelente, que atende a todos de forma gratuita! Mas temos dificuldades como qualquer outro país. A economia está fragilizada, desemprego aumentando e a população tendo que enfrentar todo tipo de restrição. Mas estamos cientes de que é necessário passarmos por tudo isso para que o sistema hospitalar não colapse. Feliz por ser o primeiro país a iniciar a vacinação e estou esperançoso para um 2021 cheio de paz e saúde para uma retomada com responsabilidade.
FOLHA: O que mais gostarias de acrescentar?
FRANCISCO: Gostaria de convidar a todos para que venham conhecer o Reino Unido, pois é um país lindo. Londres é uma cidade cosmopolita com atrativos para crianças e adultos, desde teatros, parques, museus… Para os amantes da cerveja temos os pubs e para os que gostam de Whisky, uma ida a Escócia é um passeio com paisagens de tirar o fôlego. E por fim, as cidades do interior são um verdadeiro mergulho na história uma volta no tempo, uma experiência incrível!
A Csilla (minha esposa) e eu, desejamos a todos um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de realizações! Stay safe.