Operação Pripyat Ex-diretor da Eletrobras, é levado pela PF em condução coercitiva | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Operação Pripyat Ex-diretor da Eletrobras, é levado pela PF em condução coercitiva

Operação Pripyat   Ex-diretor da Eletrobras, é levado pela PF em condução coercitiva

Por: Humberto Trezzi e Adriana Irion/RBS

O patrulhense Valter Luiz Cardeal, que era diretor de Geração da Eletrobras (estatal responsável pelas operações de energia no país), foi conduzido coercitivamente pela Polícia Federal na manhã de ontem em Porto Alegre. A ação ocorre dentro da Operação Pripyat, que investiga corrupção na Eletronuclear, e é um desdobramento da Operação Lava Jato.
Cardeal chegou à sede da PF em Porto Alegre por volta das 10h30min. Ele ficou no prédio até o meio-dia e se recusou a responder às perguntas dos policiais, preferindo falar só em juízo, segundo fontes consultadas por Zero Hora. Para evitar a imprensa, o ex-dirigente da Eletrobras saiu no banco de trás de um Porsche Cayenne com vidros escuros, conduzido por um motorista. O material apreendido na busca feita na casa dele, no bairro Chácara das Pedras, será enviado para a PF do Rio de Janeiro. Os policiais recolheram pen-drives, computadores e documentos.
Segundo os investigadores, grampo telefônico feito três semanas antes da prisão do contra-almirante Othon Pinheiro da Silva (ex-presidente da Eletronuclear), mostra que o militar da reserva recebe ligação de Cardeal e ambos combinam versões sobre o que dizer na Justiça, diante das acusações de corrupção.
Cardeal ligou para Othon, porque soube ter sido delatado à Lava Jato por Ricardo Pessoa, presidente da empreiteira UTC e colaborador premiado. Na delação, Pessoa diz que os dois executivos da Eletronuclear cobraram 6% de comissão (propina) para incluir a UTC nas obras de Angra 3. O diálogo, travado em 11 de julho de 2015, está transcrito pela PF em relatório da Justiça Federal. Cardeal diz a Othon que ambos devem se ajudar, o que é interpretado pela PF como “combinar versões”. Logo após o estouro do escândalo Eletronuclear, Valter Cardeal foi licenciado do cargo.
Quem é Valter Cardeal
Ainda segundo o Click RBS, “Valter Luiz Cardeal é homem de confiança de Dilma Rousseff (PT). Cardeal, que iniciou sua carreira no setor elétrico em 1971, na Companhia Estadual de Energia Elétrica do RS (CEEE), chegou ao primeiro escalão da Eletrobras, maior empresa do setor no país, controlada pelo governo federal, graças à indicação da presidente afastada.
Cardeal e Dilma se aproximaram durante o governo de Alceu Collares (1991-1995), quando ela era secretária de Energia do Rio Grande do Sul e ele, então do PDT, diretor da CEEE. Após assumir o Ministério de Minas e Energia em 2003, Dilma trouxe o engenheiro elétrico, formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), para o governo federal. Cardeal foi presidente interino da Eletrobras de 2007 a 2008, mas estava à frente da diretoria de Geração quando, na 16ª fase da Lava Jato, batizada de Radioatividade, foi revelado um esquema de propina de R$ 30 milhões envolvendo as obras da usina nuclear de Angra 3, chamado de Eletrolão.”!



A Falcon5M foi criada em Porto Alegre para o Brasil todo a partir da união entre as empresas W5M Comunicação e Falcon Designer, ambas com ampla experiência de 6 anos no mercado.