Levantamento da Firjan aponta gestão fiscal de Santo Antônio em dificuldade | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Levantamento da Firjan aponta gestão fiscal de Santo Antônio em dificuldade

Levantamento da Firjan aponta gestão fiscal de Santo Antônio em dificuldade

Entre os 490 municípios avaliados no Rio Grande do Sul pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Santo Antônio da Patrulha aparece em 306º lugar em Gestão Fiscal. O Município recebeu pelo segundo ano consecutivo, o conceito C no levantamento divulgado na última quinta-feira (18). Isso significa que Santo Antônio enfrenta problemas de gestão fiscal.

Criado para avaliar a administração do dinheiro público nas prefeituras a partir de estatísticas oficiais, o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) é composto por cinco indicadores: receita própria, gastos com pessoal, investimentos, custo da dívida pública e liquidez (restos a pagar).

Para entender os números avaliados é preciso entender que o índice varia de 0 a 1. Quanto maior, melhor a gestão fiscal. Por exemplo, a receita própria ficou com 0,54, e os gastos com pessoal 0,58 (ver tabela), por isso receberam classificação de gestão em dificuldade. Já o setor de investimentos, por ter ficado com índice inferior a 0,32, foi apontado como gestão crítica.

Pode-se encontrar na página da Federação dados relativos a estes índices desde 2006. Neste ano, o Município encontrava-se em 411º lugar, com 0,48 pontos. Com um aumento na receita própria, quitação dos restos a pagar e renegociação da dívida, a gestão de Santo Antônio ganhou uma nova avaliação em 2007, passando para conceito B, o que significa uma boa gestão. Neste ano, o Município alcançou a posição de 281º no ranking da Firjan, com 0.61 pontos.

Ele se manteve com boa gestão em 2008. Porém, em 2009 uma queda na receita e no custo da dívida diminuiu novamente os pontos ganhos pelo Município. Desde então Santo Antônio da Patrulha está estacionado na classificação C, de gestão em dificuldade. O pior índice foi alcançado em 2010, quando a área de investimentos atingiu o conceito D, de gestão crítica, levando o Município a 468ª colocação, com apenas 0,45 pontos.

Números no Estado

O levantamento apresenta quatro conceitos para classificar as contas públicas. Cidades com índices acima de 0,8 alcançam classificação A, de excelência na gestão. Apenas Gramado e Tupandi atingiram a pontuação no estado. O conceito B é para municípios com boa gestão. Osório e Tramandaí conquistaram a nota, entre municípios vizinhos. Outras dez administrações da região estão entre as 155 gaúchas com nota acima de 0,6.

Municípios com dificuldade na gestão apresentam notas entre 0,4 e 0,6. Eles representam 56,3% do total no estado. Cidades com índice abaixo de 0,4 recebem conceito D e apresentam problemas críticos. Mesmo com mais da metade dos municípios em dificuldade, o estado ainda se destaca em relação às demais unidades da Federação. O percentual de prefeituras gaúchas bem avaliadas no IFGF (32%) é o dobro do nacional. A média do RS ficou em 0,5449, terceira maior entre os estados.

 

Universo

5.243 municípios (96,5% da população)

 

Como é a classificação

Conceito A: Gestão de excelência: 0,8 a 1,0

Conceito B: Boa gestão: 0,6 a 0,8

Conceito C: Gestão em dificuldade: 0,4 a 0,6

Conceito D: Gestão crítica: 0 a 0,4



A Falcon5M foi criada em Porto Alegre para o Brasil todo a partir da união entre as empresas W5M Comunicação e Falcon Designer, ambas com ampla experiência de 6 anos no mercado.