Folha Patrulhense publica sua edição número 2000 | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Folha Patrulhense publica sua edição número 2000

Folha Patrulhense publica sua edição número 2000

Nesta edição, em 24 de dezembro de 2020, a Folha Patrulhense publica sua edição de número 2000. São mais de 41 anos de jornalismo dedicado a contar as histórias da nossa gente. Desde 1981, cerca de dois anos após a sua fundação, o empresário Moacir Oliveira Menezes assumiu a direção do jornal com o firme propósito de tornar a Folha cada vez melhor.
A Folha chega a sua edição 2000 cada vez mais jovem e dinâmica. Quando Santo Antônio da Patrulha ainda não vivia os arrojados sonhos de desenvolvimento imobiliário e empresarial, surgia, no dia 1º de maio de 1979, terça-feira, um jornal que tinha como objetivo, desde sua primeira edição, ser o porta-voz dos anseios de toda uma coletividade.
A reportagem de capa da nossa primeira edição abordava uma situação vivida na época pelos moradores do antigo Reúno, hoje o populoso bairro Madre Tereza. Havia a intenção da administração municipal daquele tempo, em transferir famílias para um local “menos insalubre”. Algumas famílias aceitaram a mudança, mas a maioria optou por acreditar que aquele local teria um futuro bem melhor. E acertaram na decisão. É só ver hoje como está o Madre Tereza, onde famílias desfrutam de um bom local para morar, com a proximidade de uma bonita escola municipal, casas comerciais, um belo campo de futebol (Paladino) e o fácil acesso, tanto em direção à Cidade Baixa, como à Várzea e Cidade Alta.
A Folha Patrulhense publicou, ao longo desses 41 anos, reportagens importantes e que marcaram a vida de nosso Jornal. Matérias abordando fatos históricos como os acontecimentos ocorridos no passado na famosa Toca Santa, a visita do Papa João Paulo II a Porto Alegre, a luta para que o município tivesse o tão sonhado trevo de acesso à freeway, os episódios ocorridos na famosa e lendária Vila do Miguelzinho no município de Caraá, a perseguição policial aos integrantes da famosa quadrilha do Cano Cerrado, que foi totalmente desarticulada, as inesquecíveis reportagens sobre a Moenda da Canção, desde sua primeira edição, reportagens políticas, com ampla cobertura das atividades da Prefeitura e Câmara. Houve uma grande reportagem policial sobre um homicídio ocorrido em uma residência próximo ao cemitério desta cidade, e cuja edição (na época eram 3000 exemplares semanais) se esgotou inteiramente, tal a repercussão que o fato alcançou na ocasião.
Durante muitos anos, a impressão da Folha era feita na sede do Jornal Zero Hora, passando após, a ser impresso em Lajeado, até que o diretor Moacir Menezes adquirisse sua primeira impressora, com a qual o jornal passou a ser feito em Santo Antônio da Patrulha.
Além da Folha Patrulhense, Moacir Menezes tinha uma visão mais ampla: cobrir também os municípios de Gravataí e Cachoeirinha, com o que, surgiram o Jornal de Gravataí e a Folha de Cachoeirinha, sendo fundado o Grupo 2M, além do site com a mesma denominação, onde são englobados nossos três jornais. Além de nossos jornais, o Grupo 2M também atende interesses de outras publicações existentes no Estado, tendo nosso parque gráfico localizado em Gravataí.
Estamos muito felizes em compartilhar esse marco com a população patrulhense. Nossa promessa é continuar, ao longo de nossa trajetória jornalística, defendendo os interesses da comunidade que tão bem nos recebeu há quatro décadas e que continua a nos valorizar. Sempre com a preocupação de bem informar a todos os que nos prestigiam com a leitura de nossas páginas, reafirmamos esse propósito e de continuarmos sempre ao lado de cada um de nossos leitores e anunciantes que são a grande razão da existência da Folha Patrulhense. Por isso, todos nós (Jornal e comunidade), estamos de parabéns por esta caminhada de sucesso.