Feira paulista de confecções gera polêmica na cidade com interdição do Ginásio de Esportes | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Feira paulista de confecções gera polêmica na cidade com interdição do Ginásio de Esportes

Feira paulista de confecções gera polêmica na cidade com interdição do Ginásio de Esportes

Feira 1 Feira 2

Uma grande polêmica se formou na cidade nesse final de semana em virtude da decisão do Corpo de Bombeiros, em interditar o Ginásio de Esportes Caetano Tedesco para a realização de uma feira paulista de confecções. A abertura, que deveria ocorrer no sábado, terminou sendo suspensa, quando um comunicado de interdição foi fixado na porta do ginásio. Dezenas de pessoas estavam aguardando a abertura para a realização de compras.
Tão logo o assunto veio a público através das redes sociais, centenas de comentários foram feitos no Facebook.
BOMBEIROS

Na sede dos Bombeiros o Sargento Cardoso, Chefe da Guarnição de serviço do dia, informou que um empresário local ali esteve para formalizar, por escrito, denúncia de que o Ginásio Caetano Tedesco não possui alvará do Corpo de Bombeiros e que por isso a feira não poderia ser realizada. Além disso, afirmou que o evento estaria se realizando em um fim de semana, véspera do Dia dos Namorados, em que se esperava um reaquecimento nas vendas do comércio local, comércio este que paga impostos, emite nota fiscal e gera emprego no município, o que poderia diminuir a crise financeira existente na atualidade. E disse mais ao sargento: um homem vestido com traje de bombeiro estava dando segurança ao local, o que foi negado pelo Sargento, afirmando que nenhum bombeiro militar pode realizar esse tipo de serviço. O que Cardoso comprovou no local é que uma pessoa que integra um grupo de bombeiros voluntários (bombeiro Civil), exercia essa atividade, o que não é permitido aos profissionais do Corpo de Bombeiros Militar.
SEM ALVARÁ

O Sargento Cardoso, confirmou que a decisão foi tomada, porque ainda não foi emitido o Alvará de Prevenção e Proteção Contra Incêndios para o Ginásio. Salientou que, para que qualquer edificação ou área de risco de incêndio possuir o referido Alvará, deverá ter o PPCI APROVADO pelo Corpo de Bombeiros (sendo realizada a análise do Projeto, ou seja, confrontando o lançado no PPCI com a Legislação de Prevenção e Proteção Contra Incêndios em vigor no Estado) e posteriormente sendo realizada a Vistoria in loco (conferindo se os sistemas lançados e aprovados no PPCI estão de acordo), e estando tudo certo na Vistoria será expedido o ALVARÁ. “Como o Ginásio Caetano Tedesco não tem Alvará expedido pelo Corpo de Bombeiros, não poderia ser realizado qualquer evento temporário dentro do Ginásio, a não ser as atividades esportivas as quais o ginásio foi construído e que possui o PPCI em tramitação (vôlei, futsal, basquetebol, etc…)”, disse o Sargento. “O Ginásio hoje tem que adequar as arquibancadas (com barras antiesmagamento, conforme Resolução Técnica nº 17/BM-CCB/2012), bem como realizar a manutenção de pelo menos 03 (três) portas dotadas de barras anti pânico” ressaltou o Sargento.
O militar disse que enquanto isso não for cumprido, não há como conceder o alvará para eventos temporários dentro do Ginásio. Alertou também que se tais normas não forem atendidas, dois importantes eventos, como o do Patrulha do Rio Grande e a própria Moenda, correm o risco de não serem realizadas naquele local. Mas a administração municipal já começou a tomar providências para atender esses requisitos. “Estamos apenas cumprindo a lei. Esclarecemos também que só agimos nesses casos quando denúncias chegarem até nós”.
ACISAP

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços, tão logo o assunto começou a repercutir nas redes sociais, emitiu a seguinte nota em seu Facebook:
“A ACISAP deixa registrado que não tinha conhecimento e nem foi comunicada anteriormente sobre o aluguel do Ginásio do Parque Caetano Tedesco por parte da Secretaria Municipal de Cultura para realizar uma feira de fora do Município em uma das datas mais importantes para o Comércio local, que arrecada impostos para o Município, gera empregos e ajuda em todos os eventos. Fica a manifestação de insatisfação dos Lojistas de Santo Antônio da Patrulha.”
COMERCIANTES

Em sua maioria, os comerciantes locais preferem não opinar, mas um deles afirmou que, nas datas que antecederam o Dia dos Namorados, não houve prejuízo, porque a Feira sequer chegou a funcionar. Lamentou, de outra parte, críticas feitas ao comércio local.
SALÃO PAROQUIAL

Até mesmo na Igreja o assunto foi abordado. No sermão de domingo pela manhã, o celebrante, Pe. Ozéias Vieira fez uma alusão ao fato. Em resumo, mas sem citar nomes de ninguém o sacerdote convidou à união. Pouco antes da missa numa conversa informal, ele revelou que na mesma tarde (sábado), por volta de 18 horas, bombeiros estiveram no Salão Paroquial para vistoriar as condições, concluindo que tudo está em perfeita ordem. Qualquer problema poderia ter provocado o cancelamento da Festa do Padroeiro. Felizmente nenhuma falha foi constatada e a festa transcorreu na mais absoluta normalidade.

PREFEITO

Procurado para se manifestar a respeito do assunto, o prefeito municipal disse que uma empresária resolveu promover uma feira e para tanto locou um espaço da Prefeitura. Explicou Paulo Bier que, para isso, existem o Ginásio Municipal e o Qorpo Santo, órgãos públicos, que podem ser locados para diversas finalidades. “São atividades corriqueiras, como o caso dessa feira e que gerou toda a discussão”. Frisa Bier que tais atos de locação não passam pelo prefeito para obter autorização, porque são coisas do dia a dia. Paulo Bier deixou bem claro que existe uma ótima relação com a Associação Comercial e que não irá polemizar em cima dos fatos. “A Secretaria da Gestão e Planejamento foi ao ginásio, viu as condições, locando o espaço, porém o Corpo de Bombeiros interditou o Ginásio por não possuir o Alvará competente.”
Por fim, o prefeito disse que não tem absolutamente nada contra os comerciantes estabelecidos e a Prefeitura continuará a apoiá-los sempre que possível no que lhe compete.



A Falcon5M foi criada em Porto Alegre para o Brasil todo a partir da união entre as empresas W5M Comunicação e Falcon Designer, ambas com ampla experiência de 6 anos no mercado.