Fábrica da RR Shoes volta a funcionar na terça-feira | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Fábrica da RR Shoes volta a funcionar na terça-feira

A fábrica de calçados RR Shoes voltará a funcionar nessa terça-feira (04/04). A informação foi fornecida esta noite pelo empresário Ramon Rabelo, proprietário daquela empresa.

Por outro lado, os peritos começaram a análise do que poderá ter sido a causa, ou causas, que provocaram o incêndio que destruiu o pavilhão do setor de logística, onde estavam acondicionados entre 400 a 500 mil pares de calçados e que foram totalmente consumidos pelo fogo, além do maquinário ali existente e dois veículos, um da empresa e outro, de uma funcionária.

O Comandante do Corpo de Bombeiros de Santo Antônio da Patrulha disse no começo da noite de hoje, que a permanência da unidade no local ocorreu de forma ininterrupta, desde às 11h20min de sexta-feira, quando recebeu o primeiro chamado, até às 12.00 horas de hoje (sábado). O Tenente Gerson Solano disse que o fogo só começou a ser controlado por volta das 14 horas, tendo destacado o importante e inestimável trabalho da Brigada interna de combate a incêndios da fábrica, bem como a utilização de cerca de 80 extintores próprios da empresa que ajudaram a evitar que o fogo atingisse outras unidades. “A empresa está de parabéns pela trabalho realizado”, disse Solano, lembrando que é por isso que os Bombeiros são exigentes quanto aos itens obrigatórios que devem ser atendidos para a liberação do PPCI (Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndios).

Além da Brigada própria, os bombeiros ainda tiveram o apoio de uma viatura de Osório. Foram três caminhões que bombearam água ininterruptamente para controlar as chamas, com reabastecimento próprio em um lago existente na frente da fábrica. “De acordo com nossos cálculos, utilizamos cerca de 120 mil litros d’água no combate às chamas”, disse Solano.

Na Operação Rescaldo que durou praticamente um dia e meio, um dos bombeiros terminou ferindo um dos pés ao pisar em um prego e outro, teve que ser atendido por problemas respiratórios. Mesmo que a operação rescaldo tenha sido concluída, os bombeiros comparecem eventualmente ao local para debelar algum possível foco, já que a queima desse material (couro e outros produtos), demora a ser totalmente controlada.

Mesmo com o pequeno efetivo de que dispõe o grupamento de combate a incêndio de Santo Antônio, eles realizaram um trabalho muito importante e que deve ser reconhecido pela população.

Também foram utilizadas duas retro-escavadeiras da Secretaria de Obras da Prefeitura, mandadas ao local pelo Secretário André Randazzo dos Reis, atendendo pedido, para remover as montanhas de material queimado a fim de facilitar o combate aos focos ainda existentes.

A solidariedade dos funcionários da empresa e de dezenas de empresários e também dos poderes públicos, causa grande impressão por demonstrar a união que ocorre em momentos como este.

Nas redes sociais tem sido postadas centenas de mensagens de solidariedade. Um dos vídeos postados na página de Hermogenes Repórter no Facebook, alcançou até o começo da noite cerca de 200 mil pessoas com 62 mil visualizações. O fornecimento de leite para que os que operavam no combate ao fogo não ficassem intoxicados pela fumaça, também foi muito importante, além das máscaras que protegeram, em parte, os que estavam trabalhando.

No Hospital Santo Antônio mais de cem funcionários da empresa foram atendidos com problemas respiratórios, tendo ficado internados em observação 57 pessoas, mas aos poucos foram sendo liberadas. Segundo aquela Casa de Saúde, apenas duas pessoas retornaram por problemas de hipertensão.

A Secretária da Saúde Magda Bartikoski transferiu seu gabinete para o hospital afim de acompanhar os trabalhos. Diversos técnicos do Posto de Saúde Central foram deslocados para o Hospital a fim de auxiliar no atendimento. Ela inclusive está agradecendo ao importante trabalho dos médicos Paulo Bier e Augusto Capeletti quando as pessoas começaram a chegar ao hospital, levadas por ambulâncias do Samu, Prefeitura, uma ambulância particular e em veículos, o que facilitou no atendimento a todos.

A morte do contador Cláudio Azambuja de Andrade (51), que se sentiu mal após atender numerosos funcionários na evacuação da fábrica, causou grande consternação entre todos. Segundo o Hospital, a causa-mortis foi definida como insuficiência cardio-respiratória.

Hoje, sábado, numerosos funcionários foram à fábrica para trabalhar no sentido de buscar normalizar a situação e a  empresa está manifestando seu agradecimento por essa dedicação.

 

 

Uma das fotos mostra como ficou parte do pavilhão após o incêndio. No meio da foto, está um dos carros atingidos pelo fogo. A outra é de Cláudio Andrades, que morreu de insuficiência cardio-respiratória.

 

 

20170401_174416Claudio Andrades

 

 

17553829_1291032354313922_608449880485365243_n

 

 

 

 

 

 



Profissional atuando há 50 anos no jornalismo.