Emater fala sobre a estiagem em SAP | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Emater fala sobre a estiagem em SAP

Emater fala sobre a estiagem em SAP

O chefe do escritório da Emater de Santo Antônio da Patrulha afirmou que a seca, ou estiagem, é um fenômeno climático causado pela insuficiência de precipitação pluviométrica, ou chuva, que vêm ocorrendo no município, por um período prolongado, provocando desequilíbrios hidrológicos importantes.
“Este fenômeno da estiagem acaba de trazer consigo várias consequências para a população do município e região, principalmente para os agricultores, visto que esta é uma atividade econômica importante para a região. A duração da estiagem é medida pela severidade dos seus efeitos em caso de persistência, afetando significativamente a matriz econômica do município, podendo promover a redução progressiva de produção de culturas e do próprio bem estar da população, explica o engenheiro agrônomo Paulo Rojahn.
Acrescenta que as principais culturas afetadas pela estiagem são: milho, soja e as pastagens. Porém, é na cultura do milho que o déficit hídrico tem maior impacto sobre o rendimento de grãos, quando a cultura se encontra na fase de florescimento. O resultado dessa falta de água no florescimento do milho indica que o estresse hídrico causa grande impacto no rendimento de grãos, por afetar o número de espigas por planta e o número de grãos por espiga.
SOJA
Já na cultura da soja, as restrições causadas pelas baixas disponibilidades de água no solo ou pelas altas demandas evaporativas, fazem com que a cultura modifique seu crescimento e desenvolvimento, com reflexos no rendimento e na produção final.
Explica Rojahn que o efeito da estiagem nas pastagens, cultivadas e nativas, fazem com que os valores nutritivos das gramíneas de verão sejam baixos, onde muitas vezes, os teores de proteína bruta não atingem um valor mínimo, que são limitantes à produção animal, por implicarem na redução da digestibilidade e menor consumo voluntário.
AÇÚDES
Segundo ele, a baixa ocorrência de chuvas no verão também vem afetando o nível de água dos reservatórios (açudes), utilizados para irrigação da cultura do arroz, como também para dessedentação animal.
“Porém, com o possível retorno e a normalização da ocorrência de chuvas no município, permitirão que muitas lavouras, apresentem recuperação das plantas em desenvolvimento vegetativo, floração e enchimento dos grãos, e nas pastagens voltará à produção de massa verde em bom nível, propiciando boas condições alimentares e nutricionais às diferentes espécies de ruminantes criados no município”, destaca o engenheiro agrônomo Paulo Rojahn. Para concluir: “Por fim, podemos alertar que essa falta de água para o bom desenvolvimento das culturas de verão, poderá influenciar na alteração dos índices dos preços dos grãos em comparação a anos anteriores.”