Coordenadora da Vigilância Epidemiológica explica sobre aplicação de testes rápidos do COVID-19 | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Coordenadora da Vigilância Epidemiológica explica sobre aplicação de testes rápidos do COVID-19

Coordenadora da Vigilância Epidemiológica explica sobre aplicação de testes rápidos do COVID-19

Falando a respeito da destinação do número de testes rápidos para pacientes sintomáticos com síndrome gripal em Santo Antônio da Patrulha, a Coordenadora da Vigilância Epidemiológica e membro do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus disse que tudo é feito de acordo com nota técnica de 4 de junho deste ano, do Ministério da Saúde repassada ao Estado através do COE (Centro de Operações Emergenciais) e sua aplicação obedece a critérios da epidemiologia do Estado em conjunto com a epidemiologia do município.
Dos 1.100 testes enviados para Santo Antônio foram empregados até agora 135.
A enfermeira Rosimeri Numer explica ainda que os critérios têm que ser obedecidos, porque existe a obrigatoriedade de sua aplicação constar em relatório a ser enviado ao COE.
Acrescenta ainda a enfermeira que na segunda-feira desta semana, a Secretaria da Saúde e representantes do Comitê de Enfrentamento ao COVID-19 estiveram na Câmara explicando sobre os critérios para a utilização do teste rápido e do momento em que ele deve ser aplicado para evitar a ocorrência do falso positivo.
Sobre a bandeira vermelha existe, sim, o risco de ampliação do prazo do decreto, em princípio vigorando durante 14 dias, mas que poderá ser ampliado para 21 dependendo do avanço dos casos.
Rosimere afirma que, pelo que está acontecendo, com o aumento do número de casos, é possível que infelizmente esse prazo seja ampliado.
Adianta ainda que em relação às internações na UTI existem dois casos: um deles, em Osório, cujo paciente apresenta melhora do quadro, encontrando-se no momento fora de ventilação mecânica e sem necessidade de hemodiálise.
O outro, é de uma senhora encaminhada ao hospital de Garibaldi encontrando-se em estado regular. As transferências para outros municípios é feita pela Regulação do Estado, porque depende das vagas em leitos.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *