Coordenadora da 18ª CRS fala sobre situação de Hospitais de Osório e Santo Antônio | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Coordenadora da 18ª CRS fala sobre situação de Hospitais de Osório e Santo Antônio

Coordenadora da 18ª CRS fala sobre situação de Hospitais de Osório e Santo Antônio

Menos de uma semana após assumir o cargo de coordenadora da 18ª Coordenadoria Regional de Saúde do Rio Grande do Sul (CRS), a patrulhense de coração Magda Bartikoski, precisou colocar a prova a experiência adquirida nos anos em que permaneceu no Conselho Municipal de Saúde e a frente da Secretaria e Diretoria da Saúde de Santo Antônio da Patrulha.

Ontem a meia noite, o Hospital Beneficente São Vicente de Paulo, de Osório, suspendeu cirurgias e partos por tempo indeterminado. Os administradores alegam como principal motivo o recente cancelamento de repasse do governo estadual a hospitais públicos e filantrópicos, aliado ao novo contrato firmado com a Prefeitura de Osório, que reduziu verbas.

Alegações rebatidas por Magda. De acordo com a coordenadora, o governo do estado se encontra rigorosamente em dia com o Hospital. Ela apresentou documentação comprovando o repasse de janeiro a maio, totalizando R$ 4,5 milhões de verbas aplicadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) na instituição. “Não houve nenhum aviso prévio sobre o cancelamento destas especialidades. Este fato configura quebra de contrato, até por que o Hospital está recebendo em dia o valor contratado para a prestação do serviço”, afirmou Magda.

A coordenadora entende que o Hospital será advertido pela SES, e caso não retome o atendimento, o repasse de recursos seja cortado. Com isso, a instituição corre o risco de perder a filantropia.  “Nós estamos orientando a comunidade local, assim como a dos outros seis municípios que dependiam deste serviço regional (Santo Antônio da Patrulha, Caraá, Capivari, Mostardas e Tramandaí) que procure atendimento nos hospitais de Tramandaí e Capão da Canoa, todos localizados no Litoral Norte do RS”, afirmou.

Com relação ao Hospital de Santo Antônio da Patrulha, Magda Bartikoski, disse que vem acompanhando desde o início as negociações com a nova gestora. A coordenadora espera a efetivação o quanto antes da assinatura do contrato com o Estado, tendo em vista a grande demanda pelo atendimento na área de oftalmologia. “O hospital de Santo Antônio é estratégico para o governo. A CRS deseja que ele volte a atender com sua capacidade máxima, o mais breve possível”.

No entanto, o grupo Germann e Pechmann, que assinou contrato recentemente com a Prefeitura, precisa passar por alguns procedimentos antes de receber o aval do Secretaria. De acordo com Magda, na terça-feira, 9, o Dr. Germann e o administrador do hospital Paulo Rodolfo, protocolaram no CRS, os papéis exigidos para a vistoria da Vigilância Sanitária. Com a aprovação dada, conta a coordenadora, estará autorizada a assinatura do contrato.

Com isso, disse Magda, além da oftalmologia, o Hospital de Santo Antônio, volta a ser referência no atendimento em psiquiatria. Procedimentos cirúrgicos também devem ser realizados, após a reforma do bloco, que se encontra interditado. Conforme informações da administração, as obras devem ser realizadas em 30 dias. O valor a ser repasso pelo governo estadual para o Hospital ainda será definido após uma avaliação qualitativa e quantitativa. Sobre a possibilidade da realização de partos, a coordenadora da 18ª, disse que com o encerramento do serviço pelo Hospital de Osório, abre as chances de Santo Antônio ser escolhido pelo Estado para oferecer mais esta especialidade.

Nota do Prefeito:

O Prefeito Municipal de Santo Antônio da Patrulha, Dr. Paulo Roberto Bier, vem a público, através desta, atualizar a imprensa e a população local sobre as tratativas de contratação do novo grupo que irá administrar o Hospital Santo Antônio.

“No momento em que o Sistema de Saúde Mãe de Deus expressou vontade de deixar a administração do Hospital Santo Antônio, minha preocupação foi encontrar outra empresa que fizesse esse trabalho, com a mesma qualidade, em caráter de urgência. A questão é que o município não poderia decidir sozinho, pois a maior parte da verba que supre as necessidades do hospital vem do Governo do Estado. Logo precisávamos acertar o quanto seria repassado do Estado para o município e só então termos condições de contratar outra empresa gestora. Assim que o Governo do Estado nos informou que seriam repassados para a administração do hospital tivemos a possibilidade da contratação, que é feita em duas partes. A primeira, quando a prefeitura faz o contrato com a empresa gestora e a segunda quando a empresa gestora faz o contrato com o estado. O município já fez a contratação da empresa gestora com o Grupo Germann e Pechmann LTDA e estamos aguardando o próximo passo, que é a contratação da empresa pelo Estado. Portanto, agradeço a sensibilidade do Governo do Estado pela atenção dada a Santo Antônio da Patrulha e informo que, muito em breve, o Hospital estará atendendo normalmente.”

 

Gabriela Gomes



A Falcon5M foi criada em Porto Alegre para o Brasil todo a partir da união entre as empresas W5M Comunicação e Falcon Designer, ambas com ampla experiência de 6 anos no mercado.