Caso Avatar: Justiça analisa esta semana denúncia contra Policial Militar | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Caso Avatar: Justiça analisa esta semana denúncia contra Policial Militar

Caso Avatar: Justiça analisa esta semana denúncia contra Policial Militar

O famoso Caso Avatar, ocorrido no começo da madrugada de 13 de agosto de 2015 e que teve grande repercussão em todo o Estado, quando Vagner da Silva Barreto foi morto com um disparo de arma de fogo pelo PM Eneias Jessé Couto da Silva, que servia na Brigada Militar de Santo Antônio da Patrulha, teve novos desdobramentos.
O Policial Militar foi denunciado no começo deste ano pelo Promotor de Justiça Dr. Camilo Vargas Santana após ter o Juiz, Dr. Felipe Roberto Palopoli, declarado “restaurados os autos da ação penal originalmente autuada sob o nº 065/.2.15.000 1905-0 para que tenha regular prosseguimento”, uma vez que o processo original havia sido retirado em carga pelo advogado de defesa do réu e não teve registro de devolução na 1ª Vara, fato que também já foi noticiado pela Folha Patrulhense.
O promotor justificou a denúncia ao PM Jessé Couto, conforme declarou, por ter o policial militar praticado o homicídio por motivo torpe, motivado por sentimento de vingança por uma discussão e por a vítima manter um relacionamento amoroso com a ex-namorada do BM.
Indagado sobre as razões da análise ainda não ter ocorrido, o dr. Felipe Palopoli explicou à reportagem que o processo nº 065/2.19.0000880-3 foi levado em carga pelo Ministério Público em 05.02.2020 e devolvido ao Poder Judiciário em 21.07.2020. Os autos foram conclusos para análise do Magistrado em 02.09.2020. Sendo assim, os autos serão analisados em gabinete durante esta semana. Ressalta o Magistrado que o lapso temporal decorrido deve-se à situação de pandemia vivida e a suspensão da tramitação dos processos físicos, como é de conhecimento público.
LEMBRANDO OS FATOS
Na sua representação pela denúncia datada de 22 de janeiro deste ano, o promotor de justiça lembra que o fato ocorreu à 1h15min da madrugada de 13 de agosto de 2015, na Rua Maurício Cardoso, frente ao número 447, quando o denunciado matou, com um disparo, Vagner da Silva Barreto. O BM e o brigadiano Paulo Roberto Senador de Oliveira efetuaram a abordagem de um Fiat Siena Fire Flex, conduzido por Vanderlei de Fraga dos Santos, sogro da vítima e que estava parado na contramão.
O PM Jessé abordou o motorista afirmando que iria multá-lo por estar mal estacionado, sendo que o condutor dissera que estava manobrando para entrar na garagem, esperando que Vagner trouxesse o controle do portão. Ao ver o que estava acontecendo, Vagner veio, pulou o portão começando a discutir com os policiais sendo a discussão acalorada.
Jessé disse que atiraria nele, sendo que a vítima respondeu dizendo que resolveria a situação quando ele estivesse sem a farda.
A discussão continuou e Vagner foi em direção ao PM Jessé que sacou a arma disparando no abdomên da vítima. Em seguida, o policial o derrubou, tentando algemá-lo.
Familiares intervieram, mas o denunciado ameaçou para que ninguém se aproximasse. Como a vítima estava agonizando, os familiares pediram para socorrê-lo na viatura, tendo Jessé negado o pedido.
O SAMU foi acionado, sendo a vítima conduzida ao Hospital Santo Antônio, onde veio a óbito após dar entrada.