Câncer gástrico, uma das principais causas de mortes no Brasil | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Câncer gástrico, uma das principais causas de mortes no Brasil

Câncer gástrico, uma das principais causas de mortes no Brasil

No mundo o câncer gástrico se enquadra na quarta posição de neoplasia mais frequente. No Brasil a estimativa é de 21.000 novos casos a cada ano do triênio de 2020-2022 (INCA 2020). O alerta é do gastrocirurgião pós-graduado em Bariátrica e Metabólica dr. Jonathan Irigaray Assumpção, ao lembrar que dia 28, segunda-feira próxima, é a data nacional dedicada à prevenção do câncer gástrico. Ele falou sobre o assunto acompanhado da diretora técnica dra. Márcia Müller.
CUIDADOS
Dr. Irigaray, que atende desde o começo do ano no Hospital Santo Antônio da Patrulha da Santa Casa de Misericórdia alerta que é muito importante para quem tem mais de 45 anos e com sintomas do abdômen superior faça endoscopia para ver como está a sua saúde. Afirmando que no Sul do Brasil o câncer Gástrico é a quarta principal causa da morte de pessoas com menos de 70 anos (Ministério de Saúde 2019), o médico destaca a importância de que todos se conscientizem sobre a importância em saber a respeito da letalidade desse tipo de câncer.
Citando números do INCA (Instituto Nacional do Câncer), o Dr. Jonathan Irigaray Assumpção revela sua agressividade: Estima-se em 309 mil o número de novos casos diagnosticados para homens de todos os tipos de câncer e de estômago, o cálculo é de que ele atinja 13 mil homens e 7.800 mulheres, totalizando 20 mil casos. Lembrando o que afirma a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde, de que essa, é uma questão de saúde pública. Dr. Jonathan fez outro alerta: o álcool e o tabagismo são importantes causas dessa doença, seguido da obesidade, cujos índices crescem cada vez mais. Salienta que bactéria H.Pylori que se aloja no estômago, um dos fatores de risco mais importantes, é identificada através da endoscopia. Ela pode causar úlcera, displasia e poder proporcionar início de um tumor.
SINTOMAS
Afirmando que é um dos tipos de câncer que atua de forma silenciosa, e que, portanto, pode não apresentar nenhum sintoma, o médico explica que, muitas vezes, quando o paciente chega na emergência, o câncer gástrico já está avançado, porque o indivíduo não se preocupou em fazer a necessária prevenção. Ele destaca que o ideal é que se faça acompanhamento com gastrocirurgião e endoscopias de controle anualmente ou a cada dois anos, dependendo dos casos. Outro sintoma muito visto, é o sangramento digestivo, principalmente nas fezes. Acrescenta que a falta de apetite e o emagrecimento também são sintomas da doença. Eventualmente a pessoa também sente dores abdominais, de estômago, sente náuseas e vômitos. Já quanto à bebida típica do gaúcho, o chimarrão, está associado mais ao câncer de esôfago.
INCIDÊNCIA
Explica o Dr. Jonathan Irigaray que os fatores de risco aparecem mais nos homens. A percentagem é de dois homens para uma mulher. Enquanto ela tem mais cuidado com a saúde o homem alia o sintoma a uma dor sem importância, toma um remédio caseiro e não procura médico. O médico diz que os casos de câncer gástrico ocorrem mais no interior do município, por diversos fatores, a começar pela dificuldade de locomoção, falta de atendimento básico de saúde, dentre outros. É importante que o cidadão faça uma dieta com frutas, vegetais e fibras, alertando que o consumo de alimentos conservados com nitrito, como salsicha, salame, presunto e o peixe cru, são fatores de risco.
O HOSPITAL
Por fim, revela que o Hospital Santo Antônio da Patrulha é bem regido pela direção, possuindo um ambiente muito bom de trabalho, oferecendo boas condições para atendimento aos pacientes e cirurgias com um mínimo de complicações declarando-se satisfeito com a equipe com a qual trabalha aqui.