Atrasos faz Grupo São Pietro retirar equipamentos do hospital | 2M Notícias

Edições Online

Capa Gravataí Capa Cachoeirinha Capa Sto Antonio

Atrasos faz Grupo São Pietro retirar equipamentos do hospital

Atrasos faz Grupo São Pietro retirar equipamentos do hospital

Hospital 2 Hospital 3

Aumenta risco da perda de referência regional em Oftalmologia

 

Com pagamentos atrasados desde agosto do ano passado, conforme o Grupo São Pietro, que prestava serviços de Oftalmologia no Hospital Santo Antônio, declarou em entrevista à este Jornal, que a direção do mesmo decidiu pela retirada na manhã de terça-feira, todos os equipamentos oftalmológicos que estavam naquela Casa de Saúde e que eram empregados no atendimento, não apenas de pacientes patrulhenses, como de todos os demais municípios do Litoral Norte. O diretor do São Pietro Daniel Giaccheri, ao informar sobre a decisão tomada, disse que “infelizmente fomos forçados a isso, porque notificamos inúmeras vezes por escrito e por e-mail sobre os atrasados da direção do Hospital para conosco, mas nenhuma providência foi tomada até agora”. E Giaccheri, foi taxativo: “Enquanto essa gestão permanecer no Hospital, não vamos voltar”. Com isso não mais serão prestados atendimentos oftalmológicos no Hospital local.
Ainda na mesma manhã houve reunião na Câmara com a Coordenadora Regional de Saúde Magda Bartikowski e com o Conselho Municipal de Saúde. O presidente do CMS ao se dirigir aos presentes, lembrou ao diretor administrativo do Hospital, Paulo Rodolfo Guimarães Gil, que em Osório, há 97 dias o diretor presidente do Hospital Santo Antônio havia se comprometido a pagar os médicos do Centro Oftalmológico, mas nada foi feito até agora.

Novo grupo oftalmo

Buscando amenizar a situação o diretor administrativo do Hospital disse que se o São Pietro optou por sair, deve-se respeitar a sua decisão. Esclarece Paulo Rodolfo Guimarães Gil que o contrato firmado com o São Pietro foi firmado dia 27 de outubro do ano passado. “Portanto, o que existia antes dessa data, não é da nossa conta. Até agora, pagamos duas parcelas: uma fatura de R$ 70.000,00 e a outra, de R$ 50.000,00 e devemos mais algumas, mas não reconhecemos a dívida de R$ 700.000,00 que o São Pietro afirma existir.”
Paulo Rodolfo afirma que os gestores já esperavam que isso ocorreria e por isso foram tomadas medidas para evitar que os pacientes ficassem sem o devido tratamento: O Grupo RMX de Novo Hamburgo e Caxias já está se instalando no Hospital Santo Antônio e segundo ele, que a situação se normalizará a partir de segunda-feira (27/06). Otimista, disse que o hospital voltará a fazer as cirurgias necessárias. Indagado sobre a situação salarial dos funcionários, disse que todos foram pagos, inclusive o mês de maio. Mas ficam para trás, parcelas do 13º. “Deixo claro que nunca atrasamos mais do que um mês, mas esse, foi um ano atípico”. Esclareceu que tanto o Estado como a Prefeitura estão em dia com os repasses para o Hospital e o que ainda falta ser pago, são resíduos de repasses.

 

Magda diz que risco de perder referência regional é cada vez maior

O risco de que o Hospital Santo Antônio perca a referência oftalmológica é cada vez maior. A afirmação é da Coordenadora Regional de Saúde.Conforme Magda Bartikowski, a saída do São Pietro, que recebeu apenas uma parcela da Germann e Pechmann, poderá precipitar essa medida, porque não existe mais justificativa para manter um convênio, se não poderão ser feitas cirurgias oftalmológicas, inclusive de catarata, que são bastante caras, pela inexistência do bloco que deveria ter sido entregue em tempo hábil.
E o Estado está tendo prejuízo, porque não estando o bloco pronto, para que continuar investindo nessa área? Os gestores do hospital dizem que em duas semanas as obras ficarão prontas, mas Magda duvida, porque tem acompanhado com frequência os trabalhos e o bloco precisa do Centro Transfusional e da Agência Transfusional. E mais: sequer o projeto nesse sentido foi aprovado. O Hospital Santo Antônio corre o risco de se transformar em hospital de pequeno porte, atendendo apenas urgências e emergências.
Sobre os resíduos citados pelo diretor administrativo do Hospital, Magda afirmou que se trata de R$ 202.000,00, referentes a incentivos. Até agora – frisa Magda Bartikowski – o Estado já repassou mais de R$ 3.300.000,00 ao Hospital Santo Antônio.
Câmara
Por outro lado, dois jornais de repercussão estadual, dentre eles o Correio do Povo, deram destaque esta semana à situação do não pagamento salarial dos funcionários do Hospital de Santo Antônio da Patrulha. Mesmo com a quitação dos dois meses em atraso nessa terça-feira (21), as publicações levantaram as denúncias de falta de medicamento, materiais de trabalho e limpeza, além do débito do 13º salário, sendo que o vereador João Luís Moreira da Silva “Bacana” (SD), entrevistado pela repórter do Correio do Povo, disse da tribuna da Câmara, durante a 21ª reunião ordinária, lamentar pelo destaque negativo que o município vem tendo devido à má administração.
Bacana e Deco
Ele ainda lembrou o pedido, efetuado em conjunto com a Mesa Diretora da Câmara, em que solicita ao Prefeito Municipal um balanço financeiro de todos os gastos e investimentos feitos desde que a Germann e Pechmann assumiu o Hospital, em maio de 2015. Tanto Bacana como o presidente do Legislativo André Randazzo dos Reis (Deco), que também aguardam pelas informações da Prefeitura, afirmaram que vão manter a posição de fiscalizadores, e que fatos como ocorridos em outras gestões, em que recursos foram desviados pelos administradores e a conta teve que ser paga pela Prefeitura, ou melhor, “pelo contribuinte”, não se repetirão. Por isso é muito importante que os Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e o Ministério Público adotem medidas urgentes antes que seja tarde demais.



A Falcon5M foi criada em Porto Alegre para o Brasil todo a partir da união entre as empresas W5M Comunicação e Falcon Designer, ambas com ampla experiência de 6 anos no mercado.